Boxe: História, Regras e Informações sobre o Esporte

0
325

O boxe é um dos esportes mais simples e antigos. Duas pessoas (geralmente homens) lutam entre si com os punhos até que um deles fica inconsciente. Adicione uma história que abrange séculos, uma série de personagens ultrajantes, uma dose poderosa de controvérsia e corrupção e a possibilidade sempre presente de glória ou tragédia, você é deixado com algo ainda mais convincente do que um teste básico de força e vontade.

Neste artigo, vamos aprender o básico do boxe, como você ganha ou perde, as fileiras, divisões e títulos, a ciência por trás disso, a história do boxe e o perigo do esporte.

Uma luta de boxe não é um duelo ou uma briga de rua. Existem regras para designar um vencedor, manter o jogo interessante para os fãs e reduzir a chance de ferimentos graves aos boxeadores. As regras variam de alguma forma entre o boxe amador (olímpico) e o boxe profissional, e até mesmo entre as organizações profissionais de boxe. Antes de uma partida principal, é realizada uma reunião de regras na qual todas as regras específicas para a próxima partida são explicadas.

O próprio ringue de boxe é uma plataforma quadrada elevada com uma superfície de lona sobre cerca de uma polegada de acolchoamento. Cordas flexíveis envolvem o anel, presas aos postes de aço nos quatro cantos. As dimensões exatas do anel dependem da organização sancionando a luta. Anéis em locais menores podem ter apenas 16 pés de lado, enquanto o boxe olímpico permite anéis de até 20 pés de diâmetro. Algumas organizações profissionais permitem anéis de até 25 pés.

Há uma série de coisas que um lutador de boxe não pode fazer dentro do ringue – isso ajuda a prevenir lesões e evita que as disputas se transformem em uma briga descontrolada. Lutadores de boxe não podem fazer o seguinte:

  • Bater abaixo do cinturão
  • Golpear quando um oponente estiver abaixado na tela
  • Dar pontapé
  • Golpear com os cotovelos, antebraços ou o interior da mão (bofetada)
  • Morder orelhas (você não acha que essa regra precisa ser explicada, mas Mike Tyson provou que isso é errado)
  • Atingir as cordas vocais
  • Cutucar o olho com o polegar (na entrevista pós-luta depois de derrotar George Foreman em “Rumble in the Jungle” de 1974, o olho direito de Muhammad Ali estava vermelho e inchado devido a uma cutucada no olho do Foreman)
  • Lutar segurando-o excessivamente

Cometer qualquer um desses atos pode resultar em uma falta, o que pode causar a dedução de pontos pelos juízes. Cometer uma falta repetidamente ou de forma muito flagrante resultará em uma desqualificação do árbitro.

Um combate de boxe é dividido em rodadas de dois ou três minutos, com um período de descanso de um minuto entre eles. Os jogos profissionais são de 12 rodadas no nível do campeonato (eles costumavam ir para 15). Dez rodadas ou menos podem ser agendadas em rankings mais baixos. Jogos amadores têm apenas três, quatro ou cinco rodadas, com rodadas que duram dois minutos. As divisões júnior podem ter rodadas ainda mais curtas.

Luvas de boxe são feitas de couro acolchoado, projetado para proteger as mãos, bem como reduzir os danos causados ​​a um adversário. Sob as luvas, as mãos são cuidadosamente embrulhadas em ataduras atléticas – esta embalagem é rigorosamente regulada. Os pugilistas amadores também usam toucas que protegem principalmente contra cortes e arranhões.

História do Boxe

O boxe apareceu pela primeira vez como um formal Evento olímpico na 23ª Olimpíada (688 AC ), mas os combates em punho devem certamente ter sua origem na pré-história da humanidade. A evidência visual mais antiga para o boxe aparece nas esculturas de relevo sumérias do terceiro milênio AC . Uma escultura em relevo de Tebas ( c. 1350 AC ) mostra pugilistas e espectadores. As poucas representações do Oriente Médio e Egito existentes são de concursos de punho nu com, no máximo, uma simples faixa apoiando o pulso; a mais antiga evidência do uso de luvas ou revestimentos de mão no boxe é um vaso esculpido de Creta minóica ( c. 1500 AC ) que mostra pugilistas de capacete com uma placa rígida amarrada ao punho.

A evidência mais antiga de regras para o esporte vem de Grécia antiga. Essas antigas disputas não tinham rodadas; eles continuaram até que um homem reconheceu a derrota segurando um dedo ou não conseguiu continuar. O clinching (manter um adversário próximo a um ou ambos os braços) era estritamente proibido. As competições foram realizadas ao ar livre, o que adicionou o desafio de calor intenso e luz solar intensa à luta. Concorrentes representaram todas as classes sociais; Nos primeiros anos dos grandes festivais de atletismo, a preponderância dos boxeadores vinha de origens ricas e distintas.

Os gregos consideraram o boxe o mais prejudicial de seus esportes. A literatura grega oferece muitas evidências de que o esporte causou a desfiguração e, ocasionalmente, até mesmo a morte. 

Por volta do século IV AC , as simples amarras de couro de boi descritas na Ilíada foram substituídas pelo que os gregos chamavam de “tiras afiadas”, que tinham uma faixa grossa de couro duro sobre os nós dos dedos que as transformavam em armas lacerativas. Embora os gregos usassem luvas acolchoadas para a prática, não muito diferentes da luva de boxe moderna, essas luvas não tinham papel em competições reais. os romanos desenvolveram uma luva chamadacaestus (cestus) que é visto em mosaicos romanos e descrito em sua literatura; essa luva costumava ter pedaços de metal ou pontas costuradas no couro. O caestus é uma característica importante em uma luta de boxe em Virgil Eneida (século I AC). 

O boxe romano ocorreu tanto nas arenas esportivas quanto nas gladiatórias. Soldados romanos muitas vezes boxeados uns aos outros por esporte e como treinamento para o combate corpo a corpo. Os combates de boxe de gladiadores geralmente terminavam apenas com a morte do boxeador perdedor. Com o surgimento do Cristianismo e o declínio concomitante do Império Romano, o pugilismo como entretenimento aparentemente deixou de existir por muitos séculos.

Regras e Objetivos do Boxe

O objetivo de um boxeador é derrubar seu oponente, atordoando-o tão severamente que ele não pode recuperar os pés antes que o árbitro conte até dez. Isso é chamado de nocaute (KO), e resulta em uma vitória para o boxeador ainda de pé. Quando um boxeador derruba seu oponente, ele deve se retirar para um canto neutro, ou seja, nenhum dos cantos onde os treinadores dos boxeadores esperam para auxiliá-los entre as rodadas.

Se o pugilista derrubado puder ficar com a rapidez necessária, o árbitro (a única pessoa permitida no ringue que não os pugilistas) garante que está bem e capaz de se defender, e a luta continua. Às vezes, as regras exigem uma contagem obrigatória de oito. Ou seja, mesmo que o boxeador pule de pé imediatamente, o árbitro o faz esperar até que ele conte até oito para voltar à luta. Em alguns sistemas de regras, se um boxeador é derrubado três vezes em uma luta, o resultado é um nocaute técnico (TKO). Isso geralmente é registrado como um KO no registro do boxeador vencedor. Um TKO também pode ocorrer quando o árbitro, o médico do ringue, o treinador de um boxeador ou o próprio boxeador decide que está muito machucado para continuar a luta.

Algumas regras permitem que um boxeador derrubado seja “salvo pela campainha”. Se a rodada termina enquanto ele está para baixo, mas antes do árbitro terminar sua contagem de dez, o boxeador pode retornar ao seu canto e obter o período de descanso de um minuto. Outros sistemas de regras não permitem isso – a contagem continua até mesmo após o término da rodada.

Frequentemente, uma partida termina sem que nenhum dos lutadores seja KOed. Nesse caso, o vencedor da partida será determinado pelos juízes e o resultado é conhecido como decisão. Os jogos profissionais usam três juízes (ou às vezes dois juízes mais o árbitro). O boxe olímpico usa cinco juízes. Existem variações nos sistemas de pontuação, mas todos se resumem a isso: os juízes observam cada rodada e determinam qual pugilista venceu essa rodada. Eles atribuem pontos a cada boxeador para ganhar uma rodada. Os pontos para todos os juízes são contados no final da partida, e o boxeador com mais pontos (ou rodadas) é declarado vencedor.

Quem ganhou a rodada é principalmente baseado na contagem de “socos de pontuação” – socos com o lado da junta do punho que atinge a frente ou os lados do corpo do adversário (acima do cinto) ou cabeça. Os juízes olímpicos usam um dispositivo para rastrear quem acertar mais socos em uma rodada. Faltas também são rastreadas e afetam a pontuação (quando um boxeador comete uma falta, seu oponente recebe dois socos extras para a rodada). Julgar uma partida de boxe profissional pode ser mais subjetivo. Os juízes podem contar socos, mas eles também levam em consideração agressão, controle do ringue, controle do andamento da luta e dano infligido. Por exemplo, se o boxeador vermelho acertar uma dúzia de jabs decentes em uma rodada, mas seu oponente, o boxeador azul, o prender com dois ganchos duros no final da rodada que deixam o pugilista vermelho confuso e cambaleante, os juízes poderiam muito bem premiar o rodada para o boxer azul. De fato, em tal caso, juízes diferentes podem marcar a rodada de maneira diferente.

Os próprios pontos baseiam-se em sistemas de cinco, dez ou vinte pontos, mas todos funcionam da mesma maneira. Em um sistema de 10 pontos, o boxeador que ganha uma rodada recebe 10 pontos e o outro boxeador ganha nove pontos. Se houve um knockdown na rodada, ou um boxeador dominou totalmente a rodada, a pontuação pode ser 10-8. Se um juiz não pode decidir quem ganhou a rodada, é marcado 10-10.

Existem quatro decisões possíveis:

  • Decisão unânime – Todos os três juízes marcam o mesmo pugilista que o vencedor.
  • Decisão dividida – Dois juízes pontuam em favor de um boxeador (o vencedor) e um juiz pontua em favor do outro.
  • Decisão da maioria – Dois juízes pontuam um boxeador (o vencedor) e um juiz marca o empate.
  • Empate – Um juiz pontua em favor de um boxeador, um juiz pontua em favor do outro e um juiz marca o empate. Nenhum boxeador vence a partida.

Há um resultado muito raro conhecido como empate majoritário, quando dois juízes marcam um empate e um juiz pontua em favor de um boxeador.

Há muito mais no boxe do que apenas entrar em um ringue e dar alguns socos. Há pugilistas que lutam dessa maneira, mas suas carreiras não duram muito.

Os dois principais elementos do boxe são ataque e defesa. Defesa começa com a postura: pés na largura dos ombros, pé direito um pouco atrás do pé esquerdo (esta discussão assume um boxer destro; basta inverter esquerda com a direita, se o boxeador é um “canhoto”, ou canhoto). A mão direita é segurada ao lado do queixo, cotovelo ao longo do corpo. A mão esquerda está estendida alguns centímetros à frente do rosto, o cotovelo dobrado. Isso dá ao boxeador a oportunidade de bloquear ou desviar da maioria dos socos lançados contra ele e uma boa base para disparar socos. É comum ver lutadores segurando suas luvas muito abaixo da postura tradicional. Isso pode ser feito por razões estratégicas (para jogar o seu oponente para fora ou para fazer socos rápidos no corpo) ou porque eles estão ficando cansados ​​ou preguiçosos.

A maioria dos boxeadores “bob e weave”, especialmente no início da partida. Eles saltam ligeiramente e movem-se de um lado para o outro, empurrando ligeiramente um pé e depois o outro. Isso oferece ao oponente um alvo em movimento que é mais difícil de se concentrar e acertar. Em praticamente todas as partidas que duram mais de seis ou sete rodadas, o balanço e a tecelagem diminuem tremendamente no final da partida, à medida que os boxeadores cansam.

Embora pareça haver uma variedade infinita de maneiras de dar um soco, o arsenal de um boxeador moderno geralmente consiste em quatro socos principais:

  • Jab – Um soco direto e de baixa potência com a mão esquerda (esquerda). Muitas vezes usado para testar um adversário ou “encontrar o alcance” do adversário. Chega jabs pode eventualmente desgastar um oponente para baixo.
  • Gancho – Um soco poderoso no qual o punho se projeta para o lado antes de voltar e se conectar com o lado do corpo ou da cabeça. Pode ser jogado com as duas mãos.
  • Uppercut – Quase sempre jogado com a mão direita. O braço cai com o cotovelo puxado para trás e o punho é jogado para fora e para cima em um arco que se conecta com o rosto do oponente. Útil para ficar sob a defesa de um adversário ou quando os pugilistas estão juntos.
  • Cruz – O punho direito é lançado da posição padrão (onde é mantido próximo ao queixo), cruzando da direita para a esquerda em linha reta em direção ao rosto do oponente. O pugilista desloca seu peso e ombro direito para a frente para adicionar força ao soco.

Qualquer um desses golpes pode ser devastador por conta própria, mas eles são mais eficazes em combinações. Uma combinação é qualquer série de dois ou mais socos em rápida sucessão. Por exemplo, o combo jab-cross é muito comum.

Boxe: História, Regras e Informações sobre o Esporte
Vote nesse artigo

Receba nossas atualizações grátis!

Comente