Cálculo de INSS

0
66

O INSS (Instituto Nacional do Seguro Social) é uma instituição pública brasileira filiada ao Ministério da Economia do Brasil e recebe contribuições para a manutenção do sistema geral de previdência social, responsável pelo pagamento de pensões, benefícios de maternidade, benefícios de morte, benefícios de doença, acidentes, lesões, isolamento e outros benefícios para os beneficiários, nos termos da lei. O INSS colabora com a Dataprev, uma empresa de tecnologia que processa todos os dados da segurança social.

Para além do regime geral, os Estados e os municípios podem criar o seu próprio regime, financiado por contribuições específicas.

O INSS foi instituído com base no Decreto nº 99.350, de 27 de junho de 1990, por meio da fusão do Instituto de Administração Financeira, Previdência e Assistência Social (IAPAS) com o Instituto Nacional do Seguro Social (INPS).

O INSS é responsável pela implementação do reconhecimento dos direitos dos clientes do Sistema Geral de Seguro Social (SIG), que atualmente abrange mais de 40 milhões de contribuintes. O pessoal administrativo do Instituto é composto por quase 35.000 membros ativos, distribuídos em todas as regiões do país, que atendem pessoalmente mais de quatro milhões de pessoas por mês. Possui uma rede muito extensa de cerca de 1.500 unidades de atendimento, denominadas APS (Agências de Previdência Social), presentes em todos os estados da Federação. Existem 104 gestores de topo (GEX), divididos por sectores e subsetores.

É um mecanismo democrático que ajuda a minimizar as desigualdades sociais. O rendimento transferido da segurança social é utilizado para garantir a subsistência dos trabalhadores e das suas famílias quando perdem a capacidade de trabalhar devido a doença, acidente, gravidez, detenção, morte ou velhice.

No entanto, apesar das alegadas prestações sociais, os peritos salientam a inadequação da instituição de segurança social. 4] Nos últimos anos, o governo federal tem tomado medidas de ajuste para reduzir os custos de acordo com a Lei 13.135, de 17 de junho de 2015, para a qual a presidente Dilma Rousseff vetou parcialmente.

Quais são os Objetivos do INSS?

Uma das principais tarefas do INSS é reduzir a pobreza no Brasil. Uma pesquisa do IPEA de 2008 revelou que, se todos os atuais benefícios da Assistência Pública (cerca de R$ 16 bilhões por mês) fossem eliminados, o número de pobres no Brasil aumentaria em mais de 21 milhões, de 29,18% para 40,56%. O número de pessoas vivendo em extrema pobreza (aquelas que ganham menos de um quarto do salário mínimo per capita) quase dobraria, com um aumento de 17 milhões. O número de beneficiários do sistema previdenciário brasileiro corresponde a 28 milhões de pessoas.

Os números acima mostram a importância do INSS, responsável pelo funcionamento do sistema geral de proteção social, pela vida das pessoas, pela economia familiar e, principalmente, pelo desenvolvimento econômico, político e social dos municípios brasileiros.

Nestes 25 anos de prestação de serviços, o INSS tem focado na profissionalização da gestão, na melhoria das condições de trabalho de seus funcionários, na modernização da rede de serviços e da infraestrutura tecnológica e, em especial, na redução da burocracia nos processos de trabalho e na qualificação dos serviços prestados aos funcionários brasileiros.

Instituto Nacional de Assistência Médica e Segurança Social

O Instituto Nacional de Assistência Médica da Previdência Social (INAMPS) era uma autarquia federal, fundada em 1977 e abolida em 1993.

A Lei nº 6.439/1977 estabeleceu o Sistema Nacional de Previdência e Assistência Social (SINPAS) como parte de um novo desenho institucional do sistema de previdência social, visando à especialização e integração das diversas atividades e instituições. Nesse sistema, o Instituto Nacional de Proteção Social (INPS) manteve apenas a competência para conceder benefícios, uma vez que a função de assistência médica aos segurados foi confiada ao INAMPS e ao Instituto de Administração Financeira para Proteção Social (IAPAS) que a gestão financeira foi transferida para o INAMPS.

No início de 1985, a polícia federal denunciou o acordo fraudulento do INAMPS com cerca de trinta hospitais, dos 179 hospitais afiliados, que revelou um vazamento de cerca de 1,5 trilhão de Cr$. A fraude incluiu a dispensa fraudulenta de hospitalizações e a falta de consultas.

Desde 1988, o SUS (Sistema Único de Saúde) é responsável pela atenção à saúde pública. A saúde como um direito universal é um dos princípios da Lei de Saúde Biológica de 1990, baseada no artigo 198 da Constituição Federal.

O INAMPS foi abolido em 1993 pela Lei nº 8.689. As competências do INAMPS foram divididas entre os níveis federal, estadual e municipal dos gestores do SUS.

Uma parte das contribuições é paga na forma de uma redução na folha de pagamento, antes que o empregado da empresa receba o montante total do seu salário. Mas há um limite máximo para o desconto do INSS. Quando o salário do empregado excede o limite máximo do bônus, apenas um valor fixo, chamado teto, pode ser deduzido do salário. Mesmo que ganhe mais, não poderá contribuir mais.

Lei 8.212/1991; Decreto 3.048/1999 e Instrução Normativa RFB 971/2009.

Mensalmente, o empregado terá deduzido o valor do INSS do seu salário. As taxas de desconto variam de acordo com o salário de cada funcionário. As leis previdenciárias mudam com certa frequência, razão pela qual a tabela com descontos no INSS sobre salários é atualmente:

Vigente a partir de 1º de janeiro de 2019 para segurados empregados,
empregados domésticos e trabalhadores avulsos



Faixa salarialAlíquota
de até R$ 1.751,818,00%
de R$ 1.751,82 até 2.919,729,00%
de R$ 2.919,73 até 5.839,4511,00%
  • Limite máximo de desconto: R$ 642,34.
  • Valor deduzido junto com os dependentes, para cálculo de IRPF.
  • Além do valor deduzido na fonte, conforme a tabela acima, a empresa deve recolher a título de INSS 20% do valor da folha, independentemente de haver salários acima do teto máximo definido. Ou seja, existe o desconto do patrão e o do empregado.

No caso dos sujeitos passivos individuais, também conhecidos como independentes e sujeitos passivos facultativos, existem diferentes taxas de contribuição.

O valor mais alto é 20% do salário contributivo esperado, com um limite mínimo de salário não inferior ao mais baixo e um limite máximo de $5.839,45 para o fundo de pensão em 2019.

Para aqueles que pretendem contribuir para o salário mínimo e que pretendem renunciar à sua pensão devido à duração da contribuição, é possível pagar 11% do salário mínimo.

A Lei n.º 12.470/2011 introduziu uma contribuição de 5% do salário mínimo para cada cidadão que não exerça uma atividade remunerada, não disponha de rendimentos, seja membro da família com baixos rendimentos e esteja inscrito no Registo Uniforme de Programas Sociais do Governo Federal. Contribuinte individual.

Para um contribuinte individual é possível formalizar como um pequeno empresário e tornar-se um microempresário individual (IME) para que a contribuição para o INSS seja de 5% do salário mínimo.

Tipos de Contribuintes do INSS

Empregado: em geral, que trabalha para uma empresa mediante remuneração ou está subordinado a ela.

Trabalhador doméstico: uma pessoa que trabalha no seu local de residência para uma pessoa ou família sem fins lucrativos (por exemplo, um jardineiro).

Trabalhador independente: uma pessoa que trabalha numa ou mais empresas, eventualmente mediante remuneração, através de um órgão de gestão ou de um sindicato da categoria em causa (normalmente um trabalhador portuário).

Contribuinte individual: uma pessoa que trabalha para uma ou mais empresas, mediante remuneração, por conta própria.

Seguro especial: pequenos agricultores e pescadores.

Pessoa segurada facultativa: uma pessoa com 16 anos ou mais que não possua rendimentos próprios, mas que decida pagar quotizações (não incluída na categoria de seguro obrigatório).

Pessoas com seguro obrigatório e facultativo

O seguro obrigatório é obrigatório para todos os trabalhadores referidos no artigo 11.o da Lei n.o 8 213/91, independentemente de serem ou não trabalhadores assalariados:

Empregados
Empregado doméstico
Empregados com contribuição própria
Trabalhador por conta própria
Empregado com seguro especial

O seguro facultativo é o seguro referido no artigo 11.o do Decreto 3.048/99. A pessoa facultativa deve ter 16 anos de idade ou mais e estar abrangida por um regime geral de segurança social através do pagamento de contribuições, excepto se exercer uma atividade remunerada que a obrigue a inscrever-se como pessoa segurada num regime de segurança social. A opção opcional é segurada mediante o pagamento do primeiro prêmio se estiver vinculada.
§ 1 – Entre outras coisas, eles podem ser ligados opcionalmente:

Dona de casa;
Governador de copropriedade se não for paga qualquer remuneração;
Estudante;
Um brasileiro acompanhando um cônjuge que presta serviços no exterior;
Aquele que deixou de ser titular da segurança social obrigatória;
Membro do Conselho de Cuidados de Saúde se não estiver vinculado por um sistema de segurança social;
Acadêmico e estagiário que presta serviços a uma empresa sob a Lei nº 6.494 de 1977;
bolsistas que trabalhem em período integral em pesquisas, cursos de especialização, pós-graduação, mestrado ou doutorado no Brasil ou no exterior, desde que não estejam filiados à previdência social;
Prisioneiro que não tem emprego remunerado ou não pertence a nenhum sistema de segurança social;
Um residente brasileiro ou pessoa residente no exterior, a menos que esteja filiado ao sistema de seguridade social de um país com o qual o Brasil tenha um acordo internacional; e
Uma pessoa segurada residente num sistema fechado ou semi-aberto de uma instalação prisional que, nesse Estado, dentro ou fora da instalação prisional, preste serviços a uma ou mais empresas com ou sem intermediário de uma organização prisional ou organismo afim, ou que seja trabalhador por conta própria.

Pagamento de Benefícios do INSS

A Previdência Social oferece doze tipos de benefícios previdenciários, um benefício previdenciário e dois benefícios previdenciários por meio do INSS. As prestações diferem dos serviços na medida em que são de natureza pecuniária e as prestações sociais diferem das prestações sociais na medida em que não são dependentes das contribuições. Eles são:

Benefícios Previdenciários

Aposentadoria do INSS

Aposentadoria com base na idade: Os trabalhadores urbanos com 65 anos de idade e as trabalhadoras com 60 anos de idade têm direito às prestações. Os trabalhadores das zonas rurais têm direito à reforma por um período inferior a cinco anos: homens aos sessenta anos e mulheres aos cinquenta e cinco anos. Para beneficiar da prestação, os trabalhadores urbanos registados em 25 de Julho de 1991 devem apresentar um comprovativo de 180 quotizações mensais. Os trabalhadores agrícolas têm de provar 180 meses de trabalho local (MPAS) com documentos.
Pensão de invalidez: prestação para trabalhadores classificados como incapacitados para o trabalho em consequência de doença ou acidente, de acordo com a avaliação de saúde da segurança social, a fim de exercerem as suas atividades ou qualquer outra forma de serviço de subsistência (MPAS).
A retirada na data da contribuição pode ser total ou proporcional. Para ter direito à reforma completa, o trabalhador masculino deve provar que tem pelo menos 35 anos de idade e a trabalhadora 30 anos de idade. Para requerer uma pensão proporcional, o trabalhador deve combinar dois requisitos: Período contributivo e idade mínima.
Os homens podem requerer uma reforma proporcional aos 53 e 30 anos de contribuição e mais 40% no período de 16 de Dezembro de 1998 até ao final de 30 anos de contribuição.

As mulheres têm direito a uma contribuição proporcional aos 48 e 25 anos de idade, acrescida de mais 40% durante o período remanescente em 16 de Dezembro de 1998 para a conclusão dos 25 anos de contribuição.

Para ter direito a uma reforma completa ou proporcional, deve igualmente ser respeitado o período adicional correspondente ao número mínimo de contribuições mensais necessárias para que o segurado tenha direito às prestações. As pessoas inscritas a partir de 25 de Julho de 1991 devem ter pelo menos 180 quotizações mensais. Os membros que cheguem antes desta data deverão seguir a tabela progressiva.

A perda da qualidade de segurado não é tida em conta na concessão da pensão durante o período contributivo.

Nota: A pensão com base no período contributivo, idade e especificidade é irrevogável e inalienável: após o recebimento do primeiro pagamento, retirada do PIS ou do Fundo de Garantia (dependendo do que ocorrer primeiro), o segurado não pode declarar o pagamento. O trabalhador não tem de desistir do seu emprego para ter direito a uma pensão por velhice.

Pensão especial: prestação concedida a um segurado que tenha trabalhado em circunstâncias prejudiciais para a saúde ou para o organismo (MPAS). Para ter direito a uma pensão especial, o trabalhador deve demonstrar, para além do tempo de trabalho, que está efetivamente exposto a substâncias físicas, químicas, biológicas e nocivas ou à combinação de substâncias nocivas durante o período necessário para a concessão da prestação (15, 20 ou 25 anos).

Auxílios

Subsídio de doença: subsídio concedido ao segurado impedido de trabalhar durante mais de 15 dias consecutivos devido a doença ou acidente. No caso de empregados com autorização de trabalho assinada, os primeiros 15 dias são pagos pelo empregador e a segurança social é paga a partir do 16º dia de ausência ao trabalho. Para os contribuintes individuais (empresários, profissões liberais, trabalhadores independentes, etc.), o sistema de segurança social abrange todo o período de doença ou acidente (desde que o trabalhador tenha solicitado o subsídio). O número de meses a serem recebidos para o benefício é determinado pelo INSS após o exame médico.

Para ter direito à prestação, o trabalhador deve contribuir para a segurança social durante pelo menos 12 meses. Este período não é necessário em caso de acidente de qualquer natureza (acidente de trabalho ou outro). Para a concessão do subsídio de doença, a incapacidade para o trabalho deve ser demonstrada através de um exame do exame médico da segurança social (MPAS).

Assistência em caso de acidente: prestação paga a um trabalhador que tenha sofrido um acidente cujas consequências conduzam a uma redução da sua capacidade de trabalho. É concedido aos trabalhadores segurados que tenham beneficiado de prestações de doença. Os trabalhadores assalariados, os trabalhadores independentes e as seguradoras especiais têm direito a assistência em caso de acidente. O empregado doméstico, o contribuinte individual e o empregado facultativo não recebem o benefício (MPAS).

Assistência à reintegração: os dependentes do segurado com baixos rendimentos que tenha sido detido por qualquer motivo têm direito a assistência ao isolamento durante o período de reintegração. O benefício é pago se o empregado não receber salário, despesas médicas, pensão ou disponibilidade (MPAS) da empresa. Lei nº 13.846, de 18 de junho de 2019, incorporada ao inciso IV do artigo 25 da Lei nº 8.213/91, que prevê um período de carência de 24 (vinte e quatro) meses de contribuições para que os segurados possam receber as prestações, além da exigência de que os segurados sejam mantidos em regime fechado e que o regime semi-aberto deixe de ser permitido.

Salários e Vencimentos

Pagamento por maternidade: as trabalhadoras que contribuem para a segurança social têm direito a um subsídio por maternidade durante os 120 dias em que estão ausentes do mercado de trabalho devido ao parto. O benefício também foi estendido às mães adotivas (MPAS).

Benefícios familiares: além da renda familiar fornecida aos filhos menores de 14 anos que frequentam a escola: benefícios pagos aos empregados cujo salário mensal não exceda R$ 862,60 para ajudar a sustentar filhos menores de 14 anos incompletos ou inválidos (MPAS).

Pensões

Pensão por morte: prestação paga à família do trabalhador em caso de morte. Não há duração mínima para a concessão da pensão por morte, mas é necessário que a morte tenha ocorrido enquanto o empregado estava na situação de segurado (MPAS).

Subsídio Para Idosos e Deficientes

Geralmente referidos como LOAS (com referência à lei que a rege, a Lei Orgânica da Assistência Social) ou BPC (benefício de um pagamento contínuo). Por causa de pessoas que não podem contribuir financeiramente para a segurança social. Têm direito a assistência as pessoas com 65 anos ou mais que não exerçam uma atividade remunerada e não tenham outros reformados na sua família e as pessoas com deficiência que não possam trabalhar e viver autonomamente (MPAS).

Um dos critérios para a obtenção do subsídio é a prova de que o rendimento familiar por pessoa é inferior ou igual a um quarto do salário mínimo por pessoa. Este benefício é financiado pela assistência social e não pela segurança social, pelo que não é um benefício contributivo, embora seja administrado pelo Ministério da Segurança Social.

Serviço Previdenciário

Reabilitação profissional e serviços sociais.

Como Calcular o INSS?

Seja mensal ou trimestral, o valor da contribuição dependerá da renda mensal do trabalhador, bem como do tipo de classificação do trabalhador no INSS.

Uma vez que existe mais do que um método de pagamento, o segurado deve primeiro prestar atenção a esta escolha.

Os autônomos recebem entre 20% do salário mínimo (R$ 199,60 em 2019) e 20% do teto do INSS (equivalente a R$ 1.167,89 em 2019). Esse valor pode variar por considerar que a renda de tais profissionais não é algo fixo.

Os prestadores de serviços que aderirem ao plano de recolhimento simplificado pagam o equivalente a 11% do salário mínimo. Em 2019, esse valor é de R$109,78.

Há também a arrecadação de donas de casa de baixa renda, classificadas como contribuintes opcionais. Para essas seguradas, a contribuição é de 5% do salário mínimo (R$ 49,90 em 2019). Esta forma de pagamento só é possível aos cidadãos que fazem parte do CadÚnico, o cadastro unificado de benefícios sociais do Governo Federal. O MEI (Microempreendedor Individual) também contribui para o INSS, mas o guia é publicado no Portal do Empreendedorismo.

Cálculo de INSS
Vote nesse artigo

Receba nossas atualizações grátis!

Comente