Estado do Rio Grande do Sul (RS) [Geografia]

0
159
Sobre esse som

O Rio Grande do Sul é um estado localizado na região sul do Brasil. É o quinto estado mais populoso e o nono maior em área. Localizado no extremo sul do país, o Rio Grande do Sul é limitado no sentido horário por Santa Catarina ao norte e nordeste, o Oceano Atlântico a leste, os departamentos uruguaios de Rocha, Treinta y Tres, Cerro Largo, Rivera e Artigas ao sul e sudoeste, e as províncias argentinas de Corrientes e Misiones a oeste e noroeste. A capital e maior cidade é Porto Alegre. O estado tem a maior expectativa de vida no Brasil e a taxa de criminalidade é considerada baixa. 

Apesar do alto padrão de vida, o desemprego ainda é alto e, segundo dados do censo, é um dos estados mais difíceis do Brasil para os estrangeiros encontrarem emprego. 

O estado tem uma cultura gaúcha como seus vizinhos estrangeiros. Foi originalmente habitada pelo povo guarani. Os primeiros europeus foram os jesuítas, seguidos pelos colonizadores dos Açores. No século XIX, foi palco de conflitos, incluindo a Revolução Farroupilha e a Guerra do Paraguai. Grandes ondas de migração alemã e italiana moldaram o estado.

O Rio Grande do Sul é limitado a nordeste pelo estado brasileiro de Santa Catarina, a sudeste pelo Oceano Atlântico, a sudoeste pelo Uruguai e a noroeste pelas províncias argentinas de Corrientes e Misiones.

A parte norte do estado fica nas encostas sul do planalto elevado que se estende para o sul a partir de São Paulo pelos estados do Paraná e Santa Catarina, e é muito quebrada por cordilheiras baixas cuja direção geral ao longo da tendência da encosta lhes dá a aparência de escarpas. Uma gama de montanhas baixas se estende para o sul a partir da Serra do Mar de Santa Catarina e atravessa o estado até o Uruguai. A oeste dessa faixa encontra-se uma vasta planície gramada dedicada principalmente à criação de gado – a parte mais ao norte e mais elevada sendo adequada em pastagens e clima para ovelhas, e a parte meridional para gado. 

A leste, há uma ampla zona costeira apenas ligeiramente acima do mar; dentro dele estão duas grandes lagoas estuarinas, Lagoa dos Patos e Lagoa Mirim, que são separadas do oceano por duas penínsulas arenosas, parcialmente estéreis. A costa é uma grande praia de areia, quebrada apenas pela desembocadura dos dois lagos, chamada Rio Grande, que dá acesso a águas interiores navegáveis ​​e a vários portos. Existem dois sistemas fluviais distintos no Rio Grande do Sul – o da vertente oriental que drena para as lagoas e o da bacia do Rio da Prata que se escoa para o oeste até o rio Uruguai.

Os rios maiores do grupo oriental são os Jacuí, Sinos, Caí, Gravataí e Camaquã, que desembocam na Lagoa dos Patos, e o Jaguarão, que desemboca na Lagoa Mirim. Todos os primeiros nomeados, exceto o Camaquã, desembocam em um dos dois braços ou estuários que se abrem para o extremo norte da Lagoa dos Patos, que é chamada de Rio Guaíba, embora tecnicamente não seja um rio, mas um lago. O rio Guaíba é amplo, comparativamente profundo e tem cerca de 56 quilômetros de comprimento, e com os rios desembocando, ele permite mais de 320 quilômetros de navegação fluvial. O Jacuí é um dos rios mais importantes do estado, subindo nas faixas da Coxilha Grande do norte e fluindo para o sul e sudeste até o estuário do Guaíba, com um curso de quase 480 quilômetros (300 mi). Tem dois grandes afluentes. o Vacacaí do sul e o Taquari do norte, e muitos pequenos córregos. O Jaguarão, que faz parte da linha de fronteira com o Uruguai, é navegável 42 km até e além da cidade de Jaguarão. 

Além da Lagoa dos Patos e da Lagoa Mirim, há vários pequenos lagos nas penínsulas arenosas e pantanosas que ficam entre a costa e esses dois, e há outros de caráter semelhante ao longo da costa norte. O maior lago é a Lagoa dos Patos, que fica paralela ao litoral, nordeste e sudoeste, e tem cerca de 214 quilômetros de extensão. dos dois braços em sua extremidade norte, 40 58 km de comprimento, respectivamente, e de sua saída, o Rio Grande, com cerca de 39 km de extensão. Sua largura varia de 35 a 58 km. O lago é comparativamente raso e cheio de bancos de areia, tornando seus canais navegáveis ​​tortuosos e difíceis. 

A Lagoa Mirim ocupa uma posição similar mais ao sul, na fronteira uruguaia, e tem cerca de 175 km (109 mi) de comprimento por 10 a 35 km de largura. É mais irregular no contorno e deságua na Lagoa dos Patos através de um canal navegável conhecido como Canal de São Gonçalo. Uma parte do lago fica no território uruguaio, mas sua navegação, conforme determinado pelo tratado, pertence exclusivamente ao Brasil. Ambos os lagos são evidentemente os restos de uma antiga depressão no litoral, fechada por praias de areia construídas pela ação combinada do vento e da correnteza. Eles são do mesmo nível que o oceano, mas suas águas são afetadas pelas marés e são salobras a uma curta distância acima da saída do Rio Grande.

Um terço total do estado pertence à bacia de drenagem do Rio da Prata. Dos muitos riachos que fluem para o norte e para o oeste até o Uruguai, os maiores são o Ijuí da região do planalto, o Ibicuí, que tem sua nascente perto de Santa Maria, na parte central do estado, e flui para oeste até o Uruguai a uma distância curta acima de Uruguaiana e o rio Quaraí, que faz parte da linha de fronteira com o Uruguai. O próprio rio Uruguai é formado pela confluência dos rios Canoas e Pelotas. O Pelotas, que tem sua nascente na Serra do Mar na costa atlântica, e o rio Uruguai forma a linha fronteiriça norte e oeste do estado até a foz dos Quaraí, na fronteira uruguaia.

O Rio Grande do Sul situa-se na zona temperada do sul e é predominantemente subtropical úmida. O clima é altiplano subtropical nas áreas mais altas. Há quatro estações relativamente bem definidas e a precipitação é bem distribuída ao longo do ano, mas podem ocorrer secas ocasionais. Os meses de inverno, junho a setembro, são caracterizados por fortes chuvas e por um vento frio do sudoeste, chamado minuano, que às vezes abaixa a temperatura para abaixo de zero, especialmente nos municípios montanhosos, onde nevascas podem ocorrer. A temperatura mais baixa registrada no estado foi de -9,8 ° C (14 ° F) em Bom Jesus, em 1º de agosto de 1955. No verão, a temperatura sobe para 37 ° C (99 ° F) e lesões relacionadas ao calor não são incomuns.

Várias ecorregiões abrangem partes do estado. No canto nordeste do estado, entre a Serra do Mar/Serra Geral e o Atlântico, encontra-se a extensão sul das florestas costeiras da Serra do Mar, um cinturão de florestas tropicais úmidas sempre-verdes que se estende para o norte ao longo da faixa costeira até o Rio. estado de janeiro. O alto planalto atrás da Serra do Mar é ocupado pelas florestas úmidas de Araucária, uma floresta subtropical caracterizada por florestas sempre-verdes de folhas de louro intercaladas com os emergentes Pinus brasileiros (Araucaria angustifolia). As florestas do interior do Paraná-Paraíba encontram-se nas encostas mais baixas do planalto a sul e a leste das florestas de araucárias, incluindo grande parte da bacia inferior do Jacuí e seus afluentes. Estas florestas são semi-decíduas, com muitas árvores perdendo suas folhas na estação seca de inverno. As restingas da Costa Atlântica, florestas distintas que crescem em dunas costeiras pobres em nutrientes, se estendem ao longo da costa, até a fronteira uruguaia.

A parte sudeste do estado é coberta pela savana uruguaia ou Pampa, que se estende para o sul até o Uruguai, em um planalto chamado Serras de Sudeste (Cordilheira do Sudeste).

O estado do Rio Grande do Sul é reconhecido como um dos estados culturalmente mais ricos do Brasil. A música do Rio Grande é uma mistura de muitos estilos (a maioria é um contínuo de ritmos encontrados em países vizinhos), incluindo o Chamamé, Milonga, Polca e Chacarera. A música gaúcha ou tchê moderna é popular desde o final dos anos 80. Os habitantes do estado são conhecidos no país por beber chimarrão, e por consumir o churrasco muito regularmente (uma prática comum devido às abundantes fontes de carne de alta qualidade), chegando mesmo a considerar este um dos elementos mais importantes da vida cotidiana. 

Cada região do estado tem seu próprio background cultural. Nos pampas (sudoeste), a cultura ainda é largamente influenciada pelos antigos gaúchos. Gaúcho é um termo que pode descrever qualquer pessoa nascida no estado do Rio Grande do Sul. No entanto, também é usado para descrever os trabalhadores rurais do século 19 da região.

Outras partes do estado têm uma cultura ligeiramente diferente, influenciada principalmente por imigrantes alemães ou italianos. Após algumas gerações, os descendentes dos imigrantes foram integrados na sociedade local, mesmo que suas influências culturais sejam ainda fortes, na maior parte no campo. Apesar dessas diferenças, o povo gaúcho mantém um zelo particular por sua cultura e suas variações.

Apesar de a cultura gaúcha e sua língua portuguesa prevalecerem no Rio Grande do Sul, compartilhando muitas de suas características folclóricas com a pecuária vizinha, culturas centenárias, como as encontradas no Uruguai e na Argentina, o estado também tem outras áreas de foco cultural fortes, embora menos proeminentes.

Estado do Rio Grande do Sul (RS) [Geografia]
5 (100%) 1 voto

Receba nossas atualizações grátis!

Comente