Estado do Sergipe (SE) [Geografia]

0
304

Localizado na Região Nordeste ao longo da costa atlântica do país, Sergipe é o menor estado do Brasil em área geográfica com 21.910 km² (8.459 sq mi), maior apenas que o Distrito Federal. Sergipe faz fronteira com a Bahia ao sul e oeste e Alagoas ao norte. Aracaju é a capital e a maior cidade do estado.

O rio São Francisco forma sua fronteira setentrional, e a drenagem da parte norte do estado é para o norte e para o leste. A metade sul do estado se inclina para o leste e é drenada diretamente para o Atlântico através de vários pequenos rios, o maior deles é o Irapiranga (cuja nascente no estado da Bahia se chama Vaza Barris em sua foz), o Real e o Cotinguiba. Esses riachos são navegáveis ​​por distâncias curtas, mas são obstruídos por bancos de areia em suas bocas; por causa disso, não há bons portos na costa.

A superfície do estado assemelha-se, em parte, à da Bahia, com uma zona de terras arborizadas próximas à costa e além dessa zona florestada encontra-se uma zona mais alta de campo aberto, chamada agreste. Há um cinturão arenoso ao longo da costa, e a fronteira ocidental é ligeiramente montanhosa. A terra é muito fértil, especialmente na região florestal, onde a precipitação é abundante. Mais para o interior, o ano é dividido em estações chuvosas e secas, com secas prolongadas ocasionais. Estas são áreas pastorais e as terras mais férteis são cultivadas.

O setor industrial é o maior componente do PIB em 53,9%, seguido pelo setor de serviços em 39,1%. A agricultura representa 7% do PIB (2004). As exportações de Sergipe incluem: suco de laranja 66,1%, ureia 20,8%, couro e calçados 4,6%, tecidos 2,3%, outros tipos de sucos 2%. A participação de Sergipe na economia brasileira: 0,7% (2004).

A economia de Sergipe está focada na produção de cana-de-açúcar e os enormes canaviais, que utilizam o solo úmido e fértil, produzem mais de 1,4 milhão de toneladas de açúcar por ano. Ao contrário da situação em muitos outros estados brasileiros, o gado não é uma indústria importante, já que a área terrestre do estado impede o pastoreio em grande escala. Junto com a cana-de-açúcar, a mandioca (617.400 toneladas anuais) e laranjas (14,4 milhões de laranjas por ano) são cultivadas. Uma indústria de couro e têxtil em pequena escala também existe.

O governo federal brasileiro também está incentivando o desenvolvimento de uma indústria nascente de petróleo e gás natural.

A capital do Estado é Aracaju (pop. 479.767 em 2003), no curso inferior ou estuário do rio Cotinguiba, próximo à costa. O banco de areia na entrada deste rio é excepcionalmente perigoso, e o porto é freqüentado apenas por embarcações costeiras de pouca profundidade. A cidade é encontrada em uma planície arenosa e há dunas de areia dentro dos limites da cidade. Os principais edifícios públicos incluem uma grande igreja simples com torres gêmeas inacabadas, o palácio do governo, os salões legislativos, uma escola pública e um hospital público.

As outras cidades principais são Estância – pop. 62.218 (em 2005) no rio Rio Real, na parte sul do estado, e um centro para a fabricação de têxteis à base de algodão, charutos, cigarros e sabão, bem como um centro comercial ativo; Laranjeiras – pop. 26.452 (em 2005), localizada em um distrito altamente produtivo de açúcar ao norte da capital; Capela – pop. 27.403 (em 2005); Simão Dias – pop. 39.706 (em 2005); Lagarto – pop. 90.345; São Cristóvão, antigamente Sergipe d’el-Rey – pop. 75.353, que também era a antiga capital colonial perto da foz do Irapiranga; e Maruim – pop. 15,937.

São Cristóvão foi o local do primeiro assentamento português, em 1591, em Sergipe D’El-Rey, que hoje é Sergipe (o nome Sergipe é na verdade uma palavra tupi, que significa “rio do caranguejo”).

Como em outros estados do nordeste, Sergipe foi invadido numerosas vezes pelos holandeses, e frequentemente invadido por bucaneiros franceses. Durante o século XVII, o estado era conhecido em toda a América pelo seu rei-madeira, um bem valorizado que foi a principal atração durante as invasões dos bucaneiros, e provavelmente um fator nas expedições militares holandesas. De 1641 a 1645, o território pertencia ao Brasil controlado pelos holandeses. Os holandeses construíram um forte (o primeiro da região) entre os rios São Francisco e Sergipe. Em 1645, os portugueses recuperaram o controle. No século XVIII, os militares portugueses haviam expulsado os piratas permanentemente.

Ícones Turísticos

São Cristóvão

São Cristóvão é a quarta cidade mais antiga do país, e foi a capital do estado de Sergipe até 1855. Está localizada a cerca de 25 km da atual capital Aracaju. Como um assentamento urbano planejado, a cidade contém igrejas e conjuntos religiosos que remontam ao período colonial. A maioria desses monumentos está concentrada em torno da Praça São Francisco.

Em 1939, São Cristóvão foi tombado como Patrimônio Nacional pelo Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (IPHAN). Mais recentemente, em 2010, a Praça São Francisco, na cidade de São Cristóvão, tornou-se Patrimônio Mundial da UNESCO.

Rio São Francisco

Inclui paisagem fascinante, formações rochosas, águas cristalinas, trilhas ecológicas, Parque da Caatinga, vegetação exuberante e diversificada fauna e flora. O Cânion do Xingó está localizado em Canindé do São Francisco, às margens do longo e conhecido rio São Francisco. É o quinto rio mais navegável do mundo. O rio é formado em um vale que atinge até 170 m de profundidade, com 65 km de comprimento e em certos locais entre 50 e 300 m de largura. O volume de água do canyon é de cerca de 3,8 bilhões de m3.

Navegar entre as rochas desse gigantesco penhasco, incrustado no meio do Alto Sertão de Sergipe, é uma experiência inesquecível. Existem imponentes vales formando um cânion de 50 m de altura, cercando um lago que, em certos pontos, atinge uma profundidade de 190 m. Ninhos de garças e ilhas fluviais completam o espetáculo. As rochas guardam traços dos primeiros habitantes da área que viveram lá há mais de 8.000 anos.

Há também evidências da permanência de Lampião lá, com sua gangue de foras da lei em tempos mais modernos. A trilha Angico, no Poço Redondo, leva a uma caverna com o mesmo nome, onde Lampião, Maria Bonita e outros nove bandidos perderam a vida. Localizado na cidade de Canindé do São Francisco, a 213 km de Aracaju, o Xingó Canyon é uma das formações rochosas mais famosas da região, embelezando a paisagem do sertão seco nordestino. Faz calor durante todo o ano, mas os ventos fortes que sopram de dezembro a janeiro mantêm as temperaturas em um nível muito confortável. Entre maio e agosto, chove com frequência.

Estado do Sergipe (SE) [Geografia]
5 (100%) 1 voto

Receba nossas atualizações grátis!

Comente