Exercícios Sobre Globalização [Geografia]

0
1522

Poucos tópicos inspiram tantas opiniões fortes quanto a globalização. Este é um assunto que toca em tarifas, empregos e imigração, todos os tópicos quase garantidos para começar uma briga entre família nas férias.

Globalização significa a interconexão das economias nacionais em todo o mundo em questões como comércio, investimento, trabalho, bancos e circulação de pessoas, bens e serviços. Isso parece um bocado, mas basicamente se resume a governos permitindo cada vez mais que seus cidadãos façam negócios através das fronteiras. Ainda assim, é um conceito bastante amplo.

Globalização não é um termo preciso. Pode significar de qualquer maneira que as nações se tornaram interconectadas. Embora longe de um novo fenômeno, o termo “globalização” ganhou popularidade nos anos 90. A queda da União Soviética criou a ideia de um mundo recém-interconectado, não dividido nos campos armados da Guerra Fria, dando origem à globalização na consciência popular.

Fatores da Globalização no Comércio e Empregos

A forma mais comum de globalização, certamente o mais alto perfil, é o comércio exterior.

O comércio globalizado é a prática de importar e exportar produtos com outras nações. Normalmente, as empresas fazem isso para acessar produtos que não conseguem encontrar internamente, para abrir novos mercados para seus produtos ou para encontrar ambientes de negócios mais baratos por meio de vantagem comparativa.

Aqui estão estas três forças quebradas:

1. Acesso às Importações

Algum comércio global é sobre trazer algo que você simplesmente não consegue encontrar em casa. Esta é uma categoria decrescente de comércio, uma vez que a tecnologia e o movimento populacional possibilitam a produção da maioria dos produtos em praticamente qualquer lugar da Terra. No entanto, a história tem sido poderosamente moldada pelo comércio para acesso, como quando mercadores europeus literalmente cruzavam o mundo em busca de especiarias que só cresciam na Ásia.

Homens e mulheres corajosos morreram para trazer pimenta preta para as mesas de jantar inglesas. O equivalente de hoje pode ser um estudante de segundo ano da faculdade, na esperança de esgueirar-se pela alfândega ao voltar de Amsterdã.

Algumas exceções, não obstante, a maioria das importações hoje é sobre o custo. Embora você possa criar ou desenvolver praticamente qualquer produto em qualquer lugar, geralmente é proibitivo em termos de custo fazê-lo. Como resultado, as empresas importam.

2. Desenvolvimento de Mercado

O comércio também se concentrará no desenvolvimento de mercado para produtos existentes. Este é o outro lado das importações. Uma empresa com algo para vender tentará negociar em novos países, porque isso significa acesso a novas populações de consumidores.

As empresas que querem exportar estão, em geral, tentando construir e abrir novos mercados. Isso nem sempre terminou bem. Por outro lado, graças à busca por mercados emergentes, a Coca-Cola é a segunda palavra mais reconhecida no mundo.

3. Vantagem Competitiva

O comércio também permite que as empresas busquem ambientes de negócios mais baratos, geralmente encontrando fontes de materiais e mão-de-obra mais baratas. Para os consumidores americanos, isso aparece na forma de produtos fabricados na China, por exemplo, ou centros de atendimento mudam para a Índia. Ambas as nações oferecem uma fonte barata de mão-de-obra, levando as empresas a realocar certas operações em um esforço para obter uma vantagem sobre seus concorrentes. Isso é conhecido como vantagem competitiva.

4. Vantagem Comparativa

O comércio global permite que os países se especializem em produtos e serviços que eles são adequados para fornecer. Isso é conhecido como vantagem comparativa. É o processo de os países usarem o comércio para comprar mais barato os produtos que seriam mais caros para eles produzirem, ao mesmo tempo em que se especializariam nos produtos que produzem com mais eficiência.

Veja, por exemplo, o chamado ” Auto Alley ” do NAFTA . Sua força econômica e monetária torna o trabalho manual muito mais barato no México do que nos EUA. No entanto, o sistema educacional americano o torna uma excelente fonte de mão-de-obra qualificada. Assim, as montadoras americanas realizam pesquisa, desenvolvimento e produção de alta qualificação no mercado interno. Depois, eles têm suas fábricas no México que fazem o trabalho intensivo, mas de baixa qualificação. Muitas vezes, um carro é enviado para a fronteira várias vezes antes de ser concluído, pois as equipes trabalham no veículo onde quer que ele seja mais barato.

Isso levou o México a capitalizar sua força de trabalho intensiva em mão de obra e uma especialização na América em busca de uma mão-de-obra intensiva, já que cada país aproveita suas eficiências em comparação com a outra.

Tecnologia e Globalização

As economias mundiais foram interconectadas por essencialmente toda a história da humanidade, desde a Rota da Seda até a Companhia Britânica das Índias Orientais. Pelas nações início do século 20 tinha crescido tão interligados que os historiadores e economistas famosamente previu o fim do conflito armado porque as nações tinha crescido muito economicamente interligadas. O fim embaraçoso dessas previsões não impediu os escritores modernos de repeti- las.

No entanto, no século 21, a tecnologia permitiu que a globalização assumisse uma presença mais imediata na vida das pessoas do que nunca.

Isso se deve a um grande número de fatores, mas talvez os dois mais importantes sejam a infraestrutura de telecomunicações (a saber: a internet) e a infraestrutura de transporte. Simplificando, tornou-se mais rápido, mais barato e mais fácil mover produtos, pessoas e ideias em todo o mundo do que nunca. Os indivíduos podem acessar a propriedade intelectual criada em qualquer lugar em seus telefones. Os consumidores podem encomendar produtos feitos praticamente em qualquer lugar e enviá-los para praticamente qualquer lugar com poucas restrições e custos cada vez mais baratos.

E as empresas fundiram essas tecnologias de comunicação e remessa para criar redes elaboradas de produção que abrangem todo o globo. O transporte rápido e barato tornou as cadeias logísticas modernas, como o “Auto Alley” do NAFTA, mais possíveis do que em qualquer outra época da história.

Lei e Globalização

A política pública também desempenhou um papel importante na expansão da globalização nas últimas décadas.

A maioria dos economistas e grandes governos adotaram o livre comércio como um princípio organizador da economia global. Embora as barreiras comerciais não tenham desaparecido em todo o mundo, hoje elas são consideradas a exceção à regra. Os formuladores de políticas geralmente abordam o livre comércio como a posição padrão, a menos que haja uma razão para fazer leis de outra forma.

Esta é uma mudança do mercantilismo do século XIX e dos anos 1930, quando as barreiras comerciais e as tarifas eram a regra. Naquela época, os governos acreditavam que a melhor maneira de estimular o crescimento era proteger as indústrias domésticas da concorrência estrangeira. Hoje em dia, os governos geralmente acreditam que o crescimento é melhor alcançado permitindo que as indústrias operem da maneira mais eficiente possível, geralmente acessando produtos e mão-de-obra tão barata quanto o mercado global permitir.

Embora as questões de política pública em torno da globalização sejam complexas, os leitores devem conhecer três assuntos em particular:

1. Barreiras

As barreiras são proibições definitivas do movimento global, tal barreira comercial ou censura de ideias externas.

A globalização eliminou a maioria das barreiras comerciais, no entanto, algumas ainda existem. Os países geralmente os usam como uma declaração política ou no caso de ameaças à segurança nacional. Os EUA, por exemplo, controlam rigidamente os produtos que podem ser enviados para o Irã ou para a Coréia do Norte e só nos últimos anos relaxaram um embargo quase total na ilha de Cuba.

Na China, o Great Firewall é um exemplo de barreira à censura. Não existe para regular ou mudar incentivos, mas para interromper o tráfego.

2. Tarifas

As tarifas são um imposto que os governos atribuem aos bens e serviços recebidos. Criticamente, eles não são um imposto cobrado ao governo ou empresas estrangeiras. Empresas nacionais que importam produtos pagam tarifas e repassam o custo desse imposto para o consumidor.

Os governos usam tarifas para alterar os custos de produtos importados. Normalmente, trata-se de uma medida protecionista, destinada a beneficiar as empresas nacionais dos concorrentes estrangeiros, tornando o produto estrangeiro mais caro.

3. Imigração

Finalmente, os controles de imigração são uma forma de influência das políticas públicas sobre a globalização. Ao regular o fluxo de indivíduos, os governos influenciam a oferta de habilidade e trabalho em sua economia. Isso, por sua vez, afeta a forma como as indústrias se desenvolvem e pagam escalas internamente.

Quais são os Pontos Negativos da Globalização?

É geralmente aceito que a globalização leva a uma maior riqueza total entre as nações participantes. Ao permitir que as empresas auto-selecionem as formas mais baratas e eficientes de fazer negócios, elas geralmente são capazes de criar mais produtos e serviços do que teriam de outra forma.

Isto não é, no entanto, dizer que a globalização não tem seus críticos. Três questões em particular se destacam entre as críticas da economia globalizada:

1. Exacerbação da Desigualdade

Embora a globalização permita um movimento mais eficiente de bens e serviços, isso tende a beneficiar as grandes empresas em detrimento das pequenas. Empresas com alcance global podem aproveitar o livre comércio, oferecendo-lhes uma vantagem talvez insuperável contra as pequenas e médias empresas.

2. Detrimento à Classe Média

A globalização, em muitos aspectos, transformou todas as economias em um mercado de trabalho global. Isso enriqueceu bilhões de trabalhadores em países em desenvolvimento, já que sua mão de obra barata traz empregos do exterior. No entanto, esse mesmo processo levou as empresas a terceirizar empregos de países como os Estados Unidos para essas economias em desenvolvimento.

Os críticos argumentam que isso prejudica a capacidade dos trabalhadores de barganhar salários mais altos e um padrão de vida decente. As empresas irão terceirizar empregos de classe média para lugares onde a mão-de-obra é barata, ou eles vão prejudicar os trabalhadores com a ameaça de fazê-lo.

3. Recessões Mundiais

As economias isoladas são menos vulneráveis ​​ao movimento de seus vizinhos, colocando-os em risco de recessões. Em uma economia globalizada, as decisões de uma comunidade empresarial ou de um grupo de formuladores de políticas podem ter consequências de longo alcance. Isso deixa as pessoas em todo o mundo vulneráveis ​​às condições econômicas sobre as quais elas não têm controle, já que a decisão de (por exemplo) eleitores na Grã-Bretanha põe em perigo os mercados de trabalho do outro lado do planeta.

Exercícios Sobre Globalização

1. (UNEAL) Fenômeno decorrente da implementação de novas tecnologias de comunicação e informação, isto é, de novas redes técnicas, que permitem a circulação de ideias, mensagens, pessoas e mercadorias num ritmo acelerado, e que acabaram por criar a interconexão entre os lugares em tempo simultâneo. A descrição revela o fenômeno da:

a) conurbação
b) metropolização
c) globalização
d) revolução industrial
e) favelização

Resposta: c) Globalização.

2. (Enem-2015) Não acho que seja possível identificar a globalização apenas com a criação de uma economia global, embora este seja seu ponto focal e sua característica mais óbvia. Precisamos olhar além da economia. Antes de tudo, a globalização depende da eliminação de obstáculos técnicos, não de obstáculos econômicos. Isso tornou possível organizar a produção, e não apenas o comércio, em escala internacional.

HOBSBAWM, E. O novo século: entrevista a Antonio Polito. São Paulo: Cia. das Letras, 2000 (adaptado).

Um fator essencial para a organização da produção, na conjuntura destacada no texto, é a:

a) criação de uniões aduaneiras.
b) difusão de padrões culturais.
c) melhoria na infraestrutura de transportes.
d) supressão das barreiras para comercialização.
e) organização de regras nas relações internacionais.

Resposta: Alternativa c) Melhoria na infraestrutura de transportes. Ao criar uma rede de transportes eficiente, os custos para exportação diminuem e tornam o princípio da globalização realidade. Por isso, a alternativa C está coerente com o que foi perguntado na questão.

3. O processo de Globalização consolidou-se no Brasil a partir da década de 1990, tendo como principais características as questões a seguir, exceto:

a) Expansão do sistema econômico neoliberal
b) Frente de ampla abertura comercial para o mercado externo
c) Flexibilização das frentes de trabalho
d) Transferência de patrimônio privado para o poder público
e) Imigração de empresas multinacionais

Resposta: Alternativa D) Transferência de patrimônio privado para o poder público. A década de 1990 marcou a expansão da globalização no Brasil, acompanhada da ideologia econômico-social neoliberal, pautada na política de abertura comercial, corte de gastos públicos, flexibilização da acumulação de capital e trabalho (toyotismo), privatização (transferência de empresas públicas para o setor privado) e a intensificação da presença de multinacionais no país.

4. A globalização só foi possível pelo fato de ter ocorrido a(s) o(s)?

a) Abdicação do poder do clero
b) 1° Guerra Mundial
c) Revoluções Industriais
d) Iluminismo
e) Revolução Russa

Resposta: c) Revoluções Industriais.

5. O índio do Xingu, que ainda acredita em Tupã, assiste pela televisão a uma partida de futebol que acontece em Barcelona ou a um show dos Rolling Stones na praia de Copacabana. Não obstante, não há que se iludir: o índio não vive na mesma realidade em que um morador do Harlem ou de Hong Kong, uma vez que são distintas as relações dessas diferentes pessoas com a realidade do mundo moderno; isso porque o homem é um ser cultural, que se apoia nos valores da sua comunidade, que, de fato, são os seus.

GULLAR, F. Folha de S. Paulo. São Paulo: 19 out. 2008 (adaptado).

Ao comparar essas diferentes sociedades em seu contexto histórico, verifica-se que:

a) Pessoas de diferentes lugares, por fazerem uso de tecnologias de vanguarda, desfrutam da mesma realidade cultural.
b) O índio assiste do futebol ao show, mas não é capaz de entendê-los, porque não pertencem à sua cultura.
c) Pessoas com culturas, valores e relações diversas têm, hoje em dia, acesso às mesmas informações.
d) Os moradores do Harlem e de Hong Kong, devido à riqueza de sua História, têm uma visão mais aprimorada da realidade.
e) A crença em Tupã revela um povo atrasado, enquanto os moradores do Harlem e de Hong Kong, mais ricos, vivem de acordo com o presente.

Resposta: c) Pessoas com culturas, valores e relações diversas têm, hoje em dia, acesso às mesmas informações. O processo de globalização proporciona para as pessoas, através dos meios de comunicação, acesso à informação.

6. (ENEM 2009 – Prova Cancelada) Entre as promessas contidas na ideologia do processo de globalização da economia estava a dispersão da produção do conhecimento na esfera global, expectativa que não se vem concretizando. Nesse cenário, os tecnopolos aparecem como um centro de pesquisa e desenvolvimento de alta tecnologia que conta com mão de obra altamente qualificada. Os impactos desse processo na inserção dos países na economia global deram-se de forma hierarquizada e assimétrica. Mesmo no grupo em que se engendrou a reestruturação produtiva, houve difusão desigual da mudança de paradigma tecnológico e organizacional. O peso da assimetria projetou-se mais fortemente entre os países mais desenvolvidos e aqueles em desenvolvimento.

BARROS, F. A. F. Concentração técnico-científica: uma tendência em expansão no mundo contemporâneo?
Campinas: Inovação Uniemp, v. 3, n°1 jan./fev. 2007 (adaptado).


Diante das transformações ocorridas, é reconhecido que: 

a) A inovação tecnológica tem alcançado a cidade e o campo, incorporando a agricultura, a indústria e os serviços, com maior destaque nos países desenvolvidos.
b) Os fluxos de informações, capitais, mercadorias e pessoas têm desacelerado, obedecendo ao novo modelo fundamentado em capacidade tecnológica.
c) As novas tecnologias se difundem com equidade no espaço geográfico e entre as populações que as incorporam em seu dia a dia.
d) Os tecnopolos, em tempos de globalização, ocupam os antigos centros de industrialização, concentrados em alguns países emergentes.
e) O crescimento econômico dos países em desenvolvimento, decorrente da dispersão da produção do conhecimento na esfera global, equipara-se ao dos países desenvolvidos.

Resposta: a) A inovação tecnológica tem alcançado a cidade e o campo, incorporando a agricultura, a indústria e os serviços, com maior destaque nos países desenvolvidos.

O avanço tecnológico está presente em vários setores da economia, seja através dos meios de comunicação e até na mecanização das atividades agrícolas. Os países desenvolvidos se destacam nesse processo em virtude de maiores investimentos em tecnologia.

7. (UFAM) São características da Globalização:

a) A adoção do Toyotismo como modelo para a reorganização da produção, a restrição dos mercados e a valorização tecnológica.
b) O estabelecimento de redes comerciais, com valorização do capital mercantil e o aumento do controle estatal na economia.
c) A adoção de políticas neoliberais, a desregulamentação da economia e diminuição dos índices de robotização na indústria.
d) A dinamização tecnológica com a garantia da ampliação de políticas sociais e direitos trabalhistas.
e) A formação de blocos econômicos, a integração dos mercados e o avanço do capital financeiro.

Resposta: e) A formação de blocos econômicos, a integração dos mercados e o avanço do capital financeiro.

As formações de blocos econômicos facilitam a circulação de mercadorias, proporcionando maiores mercados consumidores e investimentos de capital financeiro numa escala global.

8. (UFC) O processo de globalização tem, na atualidade, provocado grandes mudanças, tanto nas esferas econômica, financeira e política quanto na vida social e cultural dos povos e das nações, em escala mundial. A esse respeito, é possível afirmar, de modo correto, que:

a) A maioria das instituições financeiras globais tem sua sede localizada nos países subdesenvolvidos.
b) O avanço das telecomunicações e da informática e o uso da internet são fundamentais para os fluxos financeiros mundiais.
c) O Estado intervém na economia por meio de investimentos no setor industrial, fortalecendo, assim, as empresas estatais.
d) As transformações políticas, econômicas, sociais e tecnológicas dão-se da mesma forma nos países desenvolvidos e subdesenvolvidos.
e) Os blocos econômicos regionais são constituídos com o objetivo único de formação de alianças para defender a autonomia política dos países membros.

Resposta: b) O avanço das telecomunicações e da informática e o uso da internet são fundamentais para os fluxos financeiros mundiais.

Pois o aparato tecnológico é de fundamental importância para os serviços de telecomunicação, transporte, investimentos, entre outros fatores essenciais para realização eficaz das atividades econômicas em escala planetária.

9. (Cesgranrio) A década de 90 do século XX será lembrada na história da economia brasileira como o período em que o Brasil entrou para a era da globalização, ao mesmo tempo em que se desmontaram as bases do modelo de substituição das importações, adotado desde a última década do século XIX. Sobre o processo mencionado, pode-se afirmar que:

I – a estruturação de um novo modelo desenvolvimentista no Brasil permitiu o aparecimento de um ritmo de crescimento econômico classificado como um dos mais elevados do mundo;
II – para atingir as suas metas, o governo brasileiro implementou a estabilidade econômica, com a redução dos altos juros inflacionários que prevaleciam antes da adoção do Plano Real;
III – a redução dos gastos públicos e a diminuição do papel do Estado na economia levaram a cortes nos investimentos em infraestrutura, piorando a oferta de serviços públicos;
IV – a paridade cambial que marcou esse período resultou em uma aceleração do consumo e, em consequência, no aumento da oferta de emprego e na elevação da qualidade de vida da população.

Estão corretas as afirmativas:

a) I e II, apenas.
b) I e III, apenas.
c) II e III, apenas.
d) II e IV, apenas.
e) III e IV, apenas.

Resposta: c) II e III apenas. Na década de 1990, a criação do plano real objetivava um maior controle das taxas inflacionárias no mercado. O corte de gastos e a diminuição dos investimentos governamentais em infraestrutura social tornaram-se a nova tônica nacional a partir dos anos 1990.

10. A economia brasileira, após a maior integração do país no processo de Globalização, passou a ter uma relação mais dinâmica com o comércio internacional. A principal atuação do Brasil em termos de exportação ocorre por meio de:

a) produtos industrializados, graças às novas descobertas em pesquisa e tecnologia de ponta.
b) gêneros agrícolas, com destaque para alimentos de fabricação orgânica.
c) produtos industrializados, voltados para atender a maior demanda dos países europeus.
d) produtos primários, com destaque para as vendas ao mercado chinês.
e) gêneros industriais de base, para abastecer as indústrias tecnológicas norte-americanas.

Resposta: d) Produtos primários, com destaque para as vendas ao mercado chinês.

O Brasil, em termos de exportação, atualmente, configura-se ainda por uma ampla dependência na exportação de matérias-primas, com destaque para a soja, o petróleo bruto, a carne bovina e o café. Um dos principais países compradores do Brasil, além da União Europeia e dos Estados Unidos, é a China.

11. (UFMG) As religiões carecem de análises e conhecimentos mais precisos no que se refere à sua distribuição no espaço geográfico – vale dizer, uma Geografia das Religiões. A respeito da distribuição geográfica das grandes religiões, é incorreto afirmar que:

a) as regiões asiáticas de predominância hinduísta, confucionista e, mesmo, muçulmana assistem, nos tempos atuais, ao avanço do budismo, tradicional religião originária do Tibet;
b) a Europa do Sudeste – a Europa balcânica – é, predominantemente, cristã ortodoxa, um ramo multissecular do cristianismo, que se estende, também,
pela Rússia Europeia e Asiática;
c) o Oriente Médio, que viu o nascimento do judaísmo e do cristianismo, bem como o início da expansão  deste último, tornou-se majoritariamente muçulmano e cada vez menos cristão;
d) o mundo ocidental, pode-se dizer, é cristão – católico e protestante –, mas qualquer tentativa de generalização é inadequada para o mundo oriental, principalmente o Extremo Oriente.

Resposta: a) as regiões asiáticas de predominância hinduísta, confucionista e, mesmo, muçulmana assistem, nos tempos atuais, ao avanço do budismo, tradicional religião originária do Tibet.

12. (ENEM 2009 – Prova Cancelada) Entre as promessas contidas na ideologia do processo de globalização da economia estava a dispersão da produção do conhecimento na esfera global, expectativa que não se vem concretizando. Nesse cenário, os tecnopolos aparecem como um centro de pesquisa e desenvolvimento de alta tecnologia que conta com mão de obra altamente qualificada. Os impactos desse processo na inserção dos países na economia global deram-se de forma hierarquizada e assimétrica. Mesmo no grupo em que se engendrou a reestruturação produtiva, houve difusão desigual da mudança de paradigma tecnológico e organizacional. O peso da assimetria projetou-se mais fortemente entre os países mais desenvolvidos e aqueles em desenvolvimento.

BARROS, F. A. F. Concentração técnico-científica: uma tendência em expansão no mundo contemporâneo: Campinas: Inovação Uniemp, v. 3, n°1 jan./fev. 2007.

Diante das transformações ocorridas, é reconhecido que:

a) A inovação tecnológica tem alcançado a cidade e o campo, incorporando a agricultura, a indústria e os serviços, com maior destaque nos países desenvolvidos.
b) Os fluxos de informações, capitais, mercadorias e pessoas têm desacelerado, obedecendo ao novo modelo fundamentado em capacidade tecnológica.
c) As novas tecnologias se difundem com equidade no espaço geográfico e entre as populações que as incorporam em seu dia a dia.
d) Os tecnopolos, em tempos de globalização, ocupam os antigos centros de industrialização, concentrados em alguns países emergentes.
e) O crescimento econômico dos países em desenvolvimento, decorrente da dispersão da produção do conhecimento na esfera global, equipara-se ao dos países desenvolvidos.

Resposta: a) A inovação tecnológica tem alcançado a cidade e o campo, incorporando a agricultura, a indústria e os serviços, com maior destaque nos países desenvolvidos.

13. (ENEM 2009) Um certo carro esporte é desenhado na Califórnia, financiado por Tóquio, o protótipo criado em Worthing (Inglaterra) e a montagem é feita nos EUA e México, com componentes eletrônicos inventados em Nova Jérsei (EUA), fabricados no Japão. (…). Já a indústria de confecção norte-americana, quando inscreve em seus produtos ‘made in USA’, esquece de mencionar que eles foram produzidos no México, Caribe ou Filipinas. (Renato Ortiz, Mundialização e Cultura).

O texto ilustra como em certos países produz-se tanto um carro esporte caro e sofisticado, quanto roupas que nem sequer levam uma etiqueta identificando o país produtor. De fato, tais roupas costumam ser feitas em fábricas — chamadas “maquiladoras” — situadas em zonas-francas, onde os trabalhadores nem sempre têm direitos trabalhistas garantidos.

A produção nessas condições indicaria um processo de globalização que:

a) fortalece os Estados Nacionais e diminui as disparidades econômicas entre eles pela aproximação entre um centro rico e uma periferia pobre.
b) garante a soberania dos Estados Nacionais por meio da identificação da origem de produção dos bens e mercadorias.
c) fortalece igualmente os Estados Nacionais por meio da circulação de bens e capitais e do intercâmbio de tecnologia.
d) compensa as disparidades econômicas pela socialização de novas tecnologias e pela circulação globalizada da mão-de-obra.
e) reafirma as diferenças entre um centro rico e uma periferia pobre, tanto dentro como fora das fronteiras dos Estados Nacionais.

Resposta: e) Reafirma as diferenças entre um centro rico e uma periferia pobre, tanto dentro como fora das fronteiras dos Estados Nacionais.

14. (UEMG) A atual fase da evolução capitalista é denominada “globalização”. Assinale a afirmativa incorreta sobre esse fenômeno:

a) É marcado pela mundialização da produção, da circulação e do consumo.
b) Preocupa-se com a eliminação de barreiras entre nações, enfraquecendo as grandes corporações econômicas e fortalecendo o Estado.
c) Acelera o processo competitivo avançado na informatização, automatização e na robotização das atividades produtivas.
d) O espaço mundial tende a ficar cada vez mais homogêneo, pois tem acentuado as diferenças entre os países.

Resposta: b) Preocupa-se com a eliminação de barreiras entre nações, enfraquecendo as grandes corporações econômicas e fortalecendo o Estado.

15. (Enem 98) Um dos fenômenos mais discutidos e polêmicos da atualidade é a “Globalização”, a qual impacta de forma negativa:

a) na mão-de-obra desqualificada, desacelerando o fluxo migratório.
b) nos países subdesenvolvidos, aumentando o crescimento populacional.
c) no desenvolvimento econômico dos países industrializados desenvolvidos.
d) nos países subdesenvolvidos, provocando o fenômeno da “exclusão social”.
e) na mão-de-obra qualificada, proporcionando o crescimento de ofertas de emprego e fazendo os salários caírem vertiginosamente.

Resposta: d) nos países subdesenvolvidos, provocando o fenômeno da “exclusão social”.

Receba nossas atualizações grátis!

Comente