Metalon [Engenharia]

0
176

Engenharia é o uso de princípios científicos para o projeto e construção de máquinas, estruturas e outros itens, tais como pontes, estradas, veículos e edifícios. A engenharia de disciplina abrange uma ampla gama de campos mais especializados de engenharia, cada um com uma ênfase mais específica em determinadas áreas da matemática aplicada, ciência aplicada e tipos de aplicações.

A tecnologia está presente desde os tempos antigos, quando as pessoas inventaram invenções como a cunha, a alavanca, a roda e a polia, e assim por diante.

O termo “engenharia” é derivado da palavra engenheiro, que em si data de 1390 quando um engenheiro (literalmente, alguém que constrói ou opera um motor de cerco) se referia a “um construtor de motores militares”. Neste contexto, atualmente obsoleto, um “motor” refere-se a uma máquina militar, ou seja, a um dispositivo mecânico utilizado numa guerra (por exemplo, uma catapulta).

A própria palavra “motor” é de origem ainda mais antiga, derivada em última instância da ingenuidade latina (ca. 1250), que significa “qualidade inata, especialmente poder espiritual, daí uma invenção inteligente”.

Mais tarde, quando o desenho de estruturas civis, como pontes e edifícios, se tornou mais maduro como disciplina técnica, o conceito de engenharia civil[5] foi introduzido no léxico para distinguir entre aqueles que se especializam na construção de tais projetos não militares e aqueles que estão envolvidos em engenharia militar.

As pirâmides do Egito, a Acrópole e o Pártenon da Grécia, os aquedutos romanos, a Via Appia e o Coliseu, Teotihuacán, o Templo Brihadeeswarar de Thanjavur, e muitos outros, testemunham a ingenuidade e habilidade dos antigos engenheiros civis e militares. Outros monumentos que não estão mais de pé, tais como os jardins suspensos da Babilônia, e os faros de Alexandria foram importantes realizações técnicas de seu tempo e foram considerados uma das sete maravilhas do mundo antigo.

O primeiro engenheiro civil conhecido pelo nome é Imhotep. Como um dos oficiais do faraó, Djosèr, ele provavelmente projetou e supervisionou a construção da pirâmide de Djoser (a pirâmide de passos) em Saqqqara no Egito por volta de 2630-2611 AC. O mecanismo de Antikythera, o primeiro computador mecânico conhecido e as invenções mecânicas de Arquimedes são exemplos da engenharia mecânica primitiva. Algumas das invenções de Arquimedes e do mecanismo Antikythera exigiam conhecimentos avançados de engrenagens diferenciais ou engrenagens epicíclicas, dois princípios importantes na teoria das máquinas que ajudaram a projetar os trens de engrenagem da Revolução Industrial, e ainda hoje são amplamente utilizados em vários campos como a robótica e a indústria automotiva.

Os antigos exércitos chinês, grego, romano e húngaro utilizavam máquinas militares e invenções como a artilharia desenvolvida por volta do século IV a.C. pelos gregos, o triplo, o balista e a catapulta. Na Idade Média o trabuco foi desenvolvido.

Para o desenvolvimento da tecnologia moderna, a matemática era utilizada por artesãos e artesãos, como moleiros, relojoeiros, instrumentistas e topógrafos. Além dessas profissões, não se acreditava que as universidades tivessem muito significado prático para a tecnologia.

O tratado sobre a técnica mineira De re metallica (1556), que também inclui secções sobre geologia, mineração e química, fornece uma referência padrão para o estado da técnica mecânica durante o Renascimento. A re metallica foi a referência padrão para os próximos 180 anos.

A ciência da mecânica clássica, também chamada de mecânica newtoniana, formou a base científica de grande parte da tecnologia moderna. Com a ascensão da engenharia como profissão no século XVIII, o termo foi cada vez mais aplicado a áreas onde a matemática e a ciência eram aplicadas para esses fins. Da mesma forma, além da engenharia militar e civil, as áreas então conhecidas como artes mecânicas foram incorporadas à engenharia.

A construção de canais foi um trabalho técnico importante nas fases iniciais da Revolução Industrial.

John Smeaton foi o primeiro engenheiro civil auto-declarado e é freqüentemente considerado como o “pai” da engenharia civil. Foi engenheiro civil inglês responsável pela concepção de pontes, canais, portos e faróis. Ele também era um engenheiro mecânico qualificado e um físico eminente. Usando um modelo de roda d’água, Smeaton passou sete anos experimentando maneiras de determinar ganhos de eficiência. Smeaton introduziu eixos e engrenagens de ferro nas rodas d’água. Smeaton também fez melhorias mecânicas no motor a vapor Newcomen. Smeaton desenhou o terceiro Farol de Eddystone (1755-59), onde foi pioneiro no uso de “cal hidráulica” (uma forma de argamassa submersa) e desenvolveu uma técnica de blocos de granito de cauda de pombo no edifício do farol. Ele é importante na história, redescoberta e desenvolvimento do cimento moderno porque estabeleceu os requisitos de composição necessários para obter “hidráulica” em cal; trabalho que eventualmente levou à invenção do cimento Portland.

A ciência aplicada levou ao desenvolvimento da máquina a vapor. A série de eventos começou com a invenção do barômetro e a medição da pressão atmosférica por Evangelista Torricelli em 1643, demonstração do poder da pressão atmosférica por Otto von Guericke usando os hemisférios do Virgin Burger em 1656, experimentos de laboratório por Denis Papin, que construiu modelos experimentais de motores a vapor e demonstrou o uso de um pistão, que ele publicou em 1707. Edward Somerset, 2º Marquês de Worcester, publicou um livro de 100 invenções contendo um método para elevar a água, semelhante a um percolador de café. Samuel Morland, um matemático e inventor que trabalha com bombas, deixou notas no Escritório de Ordenação da Vauxhall sobre um projeto de bomba de vapor que Thomas Savery leu. Em 1698, Savery construiu uma bomba de vapor chamada “The Miner’s Friend”. O ferreiro Thomas Newcomen, que construiu o primeiro motor a vapor a pistão comercial em 1712, não tinha qualquer formação científica.

O uso de cilindros de sopro de ferro fundido a vapor para fornecer ar comprimido para altos-fornos levou a um grande aumento na produção de ferro no final do século XVIII. As maiores temperaturas do forno possibilitadas pelas altas temperaturas do vapor permitiram o uso de mais calcário nos altos-fornos, permitindo a transição do carvão vegetal para o coque. Essas inovações reduziram o custo do ferro, tornando práticas as ferrovias e as pontes de ferro. O processo de urinar, patenteado por Henry Cort em 1784, produziu grandes quantidades de ferro forjado. O jato quente, patenteado por James Beaumont Neilson em 1828, reduziu significativamente a quantidade de combustível necessária para derreter o ferro. Com o desenvolvimento da máquina a vapor de alta pressão, a relação potência-peso das máquinas a vapor tornou possíveis os práticos vaporizadores e locomotivas. Novos processos de produção de aço, como o processo Bessemer e a lareira, introduziram uma área de engenharia pesada no final do século XIX.

Um dos engenheiros mais famosos do século XIX foi Isambard Kingdom Brunel, que construiu ferrovias, estaleiros e navios a vapor.

A Revolução Industrial criou uma demanda por máquinas com peças metálicas, o que levou ao desenvolvimento de várias máquinas-ferramentas. A perfuração de cilindros de ferro fundido com precisão não foi possível até que John Wilkinson inventou sua perfuratriz, que é considerada a primeira máquina. 19] Outras máquinas-ferramentas incluíram a fresa de rosca, fresadora, torno de torre e plaina de metal. As técnicas de usinagem de precisão foram desenvolvidas na primeira metade do século XIX. Isto incluiu o uso de gigs para guiar a máquina ferramenta sobre o trabalho e as fixações para manter o trabalho na posição correta. As máquinas-ferramentas e as técnicas de maquinagem capazes de produzir peças intercambiáveis conduziram a uma produção em grande escala na fábrica no final do século XIX.

Os fundamentos da engenharia elétrica no século XIX incluíram as experiências de Alessandro Volta, Michael Faraday, Georg Ohm e outros e a invenção do telégrafo elétrico em 1816 e do motor elétrico em 1872. O trabalho teórico de James Maxwell e Heinrich Hertz no final do século XIX deu origem ao desenvolvimento da electrónica. As invenções posteriores do tubo de vácuo e do transistor aceleraram ainda mais o desenvolvimento da eletrônica, de modo que hoje há mais engenheiros elétricos e eletricistas do que seus colegas em outros campos técnicos. Tecnologia química desenvolvida no final do século XIX. A fabricação em escala industrial exigiu novos materiais e novos processos e, em 1880, a necessidade de produção em larga escala de produtos químicos era tão grande que surgiu uma nova indústria que se concentrou no desenvolvimento e produção em larga escala de produtos químicos em novas instalações industriais. O papel do engenheiro químico era projetar essas fábricas e processos químicos.

Engenharia aeronáutica está preocupado com o design de processos de design de aeronaves, enquanto a engenharia aeronáutica é um termo mais moderno que amplia o escopo da disciplina, incluindo o design de naves espaciais. Suas origens podem ser rastreados até os pioneiros da aeronáutica em torno do início do século 20, embora o trabalho de Sir George Cayley foi recentemente datado como sendo da última década do século 18. O conhecimento inicial da aeronáutica foi em grande parte empírico com alguns conceitos e habilidades importadas de outros ramos da engenharia.

Apenas dez anos após os voos bem sucedidos dos irmãos Wright, houve um grande desenvolvimento da aeronáutica através do desenvolvimento de aeronaves militares que foram utilizadas na Primeira Guerra Mundial.

A técnica é uma disciplina ampla que é muitas vezes dividida em várias sub-disciplinas. Embora um engenheiro é geralmente treinado em uma disciplina específica, ele ou ela pode se tornar multidisciplinar através da experiência. A engenharia é frequentemente caracterizada por quatro ramos principais: engenharia química, engenharia civil, engenharia eléctrica e engenharia mecânica.

Engenharia química é a aplicação da física, química, biologia e princípios técnicos para realizar processos químicos em escala comercial, tais como a produção de produtos químicos de base, produtos químicos especiais, refinação de petróleo, microfabricação, fermentação e produção de biomoléculas.

A engenharia civil é a concepção e construção de obras públicas e privadas, tais como infra-estruturas (aeroportos, estradas, caminhos-de-ferro, abastecimento e tratamento de água, etc.), pontes, túneis, barragens e edifícios. ), pontes, túneis, barragens e edifícios. Tradicionalmente, a engenharia civil tem sido dividida em várias sub-disciplinas, incluindo engenharia, engenharia ambiental e topografia. Tradicionalmente, tem sido considerado separado da engenharia militar.

Engenharia elétrica é o projeto, engenharia e produção de vários sistemas elétricos e eletrônicos, tais como radiodifusão, circuitos elétricos, geradores, motores, equipamentos eletromagnéticos/eletromecânicos, equipamentos eletrônicos, circuitos eletrônicos, fibras óticas, equipamentos eletrônicos, sistemas de informática, telecomunicações, instrumentação, controle e eletrônica.

Engenharia mecânica é o projeto e produção de sistemas físicos ou mecânicos, como sistemas de energia e energia, produtos aeroespaciais, sistemas de armas, produtos de transporte, motores, compressores, trens de força, cadeias cinemáticas, tecnologia de vácuo, equipamentos de isolamento de vibração, fabricação e mecatrônica.

A engenharia interdisciplinar é baseada em mais de um dos mais importantes ramos da prática. No passado, a engenharia naval e de minas eram ramos importantes. Outras áreas técnicas são engenharia de produção, engenharia acústica, engenharia de corrosão, instrumentação e controlo, aeroespacial, automóvel, informática, eletrônica, tecnologia da informação, petróleo, ambiente, sistemas, áudio, software, arquitetura, agricultura, biossistemas, biomédicos, geológicos, geológicos, geológicos, têxteis, industriais, materiais e engenharia nuclear. Estes e outros ramos da engenharia estão representados nas 36 instituições acreditadas que são membros do Conselho de Engenharia do Reino Unido.

As novas especialidades são por vezes combinadas com áreas tradicionais e formam novos ramos – por exemplo, a engenharia e gestão de sistemas terrestres abrange uma vasta gama de disciplinas, incluindo estudos técnicos, ciências ambientais, ética técnica e filosofia de engenharia.

No processo de design de engenharia, os engenheiros aplicam matemática e ciências como a física para encontrar novas soluções para os problemas ou para melhorar as soluções existentes. Mais do que nunca, espera-se agora que os engenheiros tenham um bom conhecimento das ciências relevantes para os seus projetos de design. Como resultado, muitos engenheiros continuam a aprender novos materiais ao longo de suas carreiras.

Se existirem várias soluções, os engenheiros pesam cada escolha de projeto com base em seus méritos e escolhem a solução que melhor atenda aos requisitos. A tarefa crucial e única do engenheiro é identificar, compreender e interpretar as limitações de um projeto, a fim de alcançar um resultado bem sucedido. Geralmente não é suficiente para construir um produto tecnicamente bem sucedido, mas também tem de satisfazer outros requisitos.

As restrições podem incluir recursos disponíveis, restrições físicas, imaginativas ou técnicas, flexibilidade para mudanças e aditivos futuros e outros fatores como custos, segurança, comercialização, produtividade e requisitos de manutenção. Ao compreender as restrições, os engenheiros derivam especificações para os limites dentro dos quais um objeto ou sistema viável pode ser produzido e usado.

O que é Metalon?

O tubo metalon trata-se basicamente de um material metálico que foi desenvolvido a partir de uma composição de aço carbono. Há uma grande demanda por este produto em projetos de construção devido à flexibilidade dos serviços. Atualmente, os tubos são feitos de chapa de metal, que é moldada e soldada, criando uma máquina de costura. Podem ter diferentes dimensões, sejam elas quadradas, retangulares ou mesmo cilíndricas.

Uma excelente vantagem do Metalon é que é antioxidante e anti-corrosivo, e é extremamente resistente a qualquer efeito climático ou mesmo a químicos.

Há casos em que a soldadura não é realizada, por exemplo, em situações em que o metalon é utilizado em vigas em U. Uma das principais vantagens é a leveza que oferece, pois é muito fácil de transportar.

Agora que sabemos o que é o tubo Metalon, veja onde ele pode ser usado.

Devido à sua extrema leveza e resistência, o tubo Metalon pode ser utilizado sem problemas em diferentes projetos arquitetônicos. Por exemplo, em estruturas que suportam telhas.

A construção de bancos, bancos e até mesmo de jardins no telhado pode contar com a qualidade do aço metalon. Estes são alguns dos exemplos que demonstram a versatilidade deste material, muito versátil e utilizado por designers.

Outra área em que os tubos metalon são amplamente utilizados é o equipamento de fitness. Devido à sua facilidade de soldagem e leveza, é amplamente utilizado em acessórios e equipamentos de fitness.

Há apenas algumas áreas onde os tubos metalon não são recomendados, como em cenários de alta pressão como transmissão de vapor, caldeiras, pressão de componentes hidráulicos e outros que exigem alta resistência estrutural.

Metalon [Engenharia]
Vote nesse artigo

Receba nossas atualizações grátis!

Comente