Padre Antônio Vieira [Literatura]

0
267

Padre Antônio Vieira, nascido em 6 de fevereiro de 1608 em Lisboa, Portugal, e falecido em 18 de julho de 1697 na Bahia, na época colônia portuguesa do Brasil, foi um padre jesuíta, diplomata português, orador, pregador, filósofo, escritor e membro do Conselho Real do Rei de Portugal.

Vieira nasceu em Lisboa a Cristóvão Vieira Ravasco, filho de uma mulata, e Maria de Azevedo. Em 1614, ele acompanhou seus pais até a colônia do Brasil, onde seu pai havia sido destacado como um escrivão. Ele recebeu sua educação no colégio jesuíta da Bahia. Entrou no noviciado jesuíta em 1625, sob o padre Fernão Cardim, e dois anos depois pronunciou seus primeiros votos. Aos dezoito anos, lecionava retórica e um pouco mais tarde teologia dogmática, na faculdade de Olinda, além de escrever as “cartas anuais” da província.

Em 1635 ele entrou no sacerdócio. Ele logo começou a se distinguir como um orador, e os três sermões patrióticos que ele proferiu na Bahia (1638-1640) são notáveis ​​por seu poder imaginativo e dignidade da linguagem. O sermão para o sucesso dos braços de Portugal contra a Holanda foi considerado pelo abade Raynal como “talvez o mais extraordinário discurso já ouvido em um púlpito cristão.

Quando a revolução de 1640 colocou João IV no trono de Portugal, o Brasil deu-lhe sua fidelidade, e Vieira foi escolhido para acompanhar o filho do vice-rei para Lisboa para felicitar o novo rei. Seus talentos e aptidão para os negócios impressionaram tanto a João IV que o designou como tutor do infante Dom Pedro, pregador real e membro do Conselho Real.

Vieira fez um trabalho eficiente nos Departamentos de Guerra e Marinha, reviveu o comércio, pediu a fundação de um banco nacional e a organização da Companhia Brasileira de Comércio.

Vieira usou o púlpito para propor medidas para melhorar a condição geral e particularmente a econômica de Portugal. Sua pena era tão movimentada quanto sua voz e, em quatro notáveis ​​panfletos, ele defendia a criação de empresas de comércio, denunciando como anticristã uma sociedade que discriminava os cristãos-novos (muçulmanos e judeus convertidos), pediu a reforma do procedimento. da Inquisição e da admissão de comerciantes judeus e estrangeiros, com garantias de sua segurança contra a perseguição religiosa. Além disso, ele não poupou seu próprio patrimônio, pois em seu sermão Sexagesima ele corajosamente atacou o estilo atual de pregação, suas sutilezas, afetação, obscuridade e abuso de metáfora, e declarou o ideal de um sermão para ser aquele que mandava homens embora ” não contente com o pregador, mas descontentes consigo mesmos.

Em 1647, Vieira iniciou sua carreira como diplomata, no curso do qual visitou a Inglaterra, a França, a Holanda e a Itália. Em seu Papel Forte, ele pediu a cessão de Pernambuco aos holandeses como o preço da paz, enquanto sua missão a Roma em 1650 foi realizada na esperança de arranjar um casamento entre o herdeiro do trono de Portugal e a única filha do rei Filipe. IV da Espanha. Seu sucesso, liberdade de expressão e zelo reformista fizeram dele inimigos de todos os lados, e somente a intervenção do rei impediu sua expulsão da Companhia de Jesus, de modo que a prudência aconselhou seu retorno ao Brasil.

Em sua juventude, ele havia prometido consagrar sua vida à conversão dos escravos africanos e índios nativos de seu país adotivo e, chegando ao Maranhão no início de 1653, recomeçou seus trabalhos apostólicos, que haviam sido interrompidos durante sua permanência de catorze anos no país. Mundo antigo. A partir do Pará, ele penetrou nas margens do Tocantins, fazendo numerosos convertidos ao cristianismo e à civilização européia entre as tribos mais violentas; mas depois de dois anos de trabalho incessante, durante os quais todas as dificuldades foram colocadas em seu caminho pelas autoridades coloniais, ele viu que os índios deveriam ser retirados da jurisdição dos governadores, para impedir sua exploração, e colocados sob o controle dos membros. de uma única sociedade religiosa.

Assim, em junho de 1654, partiu para Lisboa para pleitear a causa dos índios e, em abril de 1655, obteve do rei uma série de decretos que colocaram as missões sob a Companhia de Jesus, sendo ele superior e proibiu a prisão. escravização dos indígenas, exceto em certos casos específicos. Retornando com essa carta de liberdade, ele organizou as missões em um território com uma linha costeira de 400 léguas e uma população de 200.000 almas, e nos próximos seis anos (1655-1661) o incansável missionário colocou a coroa em seu trabalho. Depois de algum tempo, no entanto, os colonos, atribuindo a escassez de escravos e a consequente diminuição de seus lucros aos jesuítas, começaram ativamente a se opor a Vieira, e juntaram-se membros do clero secular e as outras Ordens que tinham ciúmes do culto. monopólio desfrutado pela Companhia no governo dos índios.

Suas obras formam talvez o maior monumento da prosa portuguesa. Duzentos discursos existem para provar sua fecundidade, enquanto sua versatilidade é mostrada pelo fato de que ele poderia tratar o mesmo assunto de maneira diferente em meia dúzia de ocasiões. Suas cartas, simples e de conversação em estilo, têm um profundo interesse histórico e político, e formam documentos do primeiro valor para a história do período.

“Somos o que fazemos. O que não fazemos, não existe. Portanto, só existimos nos dias em que o fazemos. Nos dias em que não o fazemos, simplesmente perduramos”.

“O objetivo para os homens que inventaram os livros era valorizar a memória das coisas do passado, contra a tirania do tempo e contra o esquecimento dos homens.”

“A Holanda é a terra da qual flui com leite, e o Brasil é a terra que flui com o mel; e quando um se une ao outro, eles se tornam completa e propriamente a Terra da Promessa, uma terra que mana leite e mel. “

Antônio Vieira foi um dos grandes nomes literários do mundo lusófono. A Cátedra Padre Antônio Vieira de Estudos Portugueses, na Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro, foi criada em 7 de outubro de 1994, para formar professores e pesquisadores das ciências sociais. Promovendo intercâmbios acadêmicos entre o Brasil e Portugal, o principal objetivo da Cátedra tem sido aprofundar o diálogo cultural que já existe entre os dois países dentro do contexto universitário. O Presidente está envolvido na formação de professores nas áreas de Literatura e Cultura Portuguesa, Língua Portuguesa e Literaturas Lusófonas.

Em 1997, Portugal emitiu uma moeda comemorativa para marcar o 300º aniversário da morte do Padre Vieira.

Portugal emitiu um selo em 2008, celebrando o 400º aniversário do nascimento de Vieira (1608). O Brasil já emitiu dois selos da Vieira, em 1941 e 1997.

A estátua do Padre António Vieira, única no país, do escultor Marco Fidalgo, foi inaugurada no Largo Trindade Coelho, junto à igreja de São Roque, por iniciativa da Santa Casa da Misericórdia de Lisboa, Portugal.

Receba nossas atualizações grátis!

Comente