Chaturanga [Xadrez]

0
278

Chaturanga é certamente uma das mais antigas, senão a mais antiga, variantes do xadrez. Estima-se que tenha aparecido na Índia no século VII a.C. No que diz respeito ao tabuleiro e ao posicionamento das peças, podemos dizer que o Chataranga é muito semelhante ao que temos hoje.

Ao contrário do tabuleiro de xadrez, o tabuleiro de Chaturanga não muda de cor, é apenas uma cor, a cor branca.

Chaturanga é um antigo jogo de tabuleiro indiano que se acredita ter a origem do xadrez, Shogi e Makruk, e que está relacionado com o Xiang Qi (ou Janggi). Provavelmente surgiu no século VI e foi considerado o antecessor de Xatranje, que por sua vez fundou o xadrez moderno.

Tal como nos jogos de tabuleiro atuais, o Chaturanga é jogado com dois jogadores, mas existe também uma versão para quatro jogadores, Chaturaji.

Não é possível fazer uma comparação entre o Chaturanga e jogos de tabuleiro mais antigos. O conhecimento sobre jogos de tabuleiro indianos mais antigos é vago porque a literatura brâmane e sutras era religiosa e quase exclusivamente poética. Só mais tarde é que a literatura incluiu objetos seculares. Embora os termos referentes a jogos de tabuleiro sejam vagos em termos de regras, os termos Ashtāpada (8×8) e dasapada (10×10) são úteis porque usam o mesmo tabuleiro monocromático que outras antigas variantes de xadrez. O significado da palavra Ashtāpada é definido por Patandjáli no livro Mahābhāshya no segundo século como um quadro no qual cada linha tem oito casas monocromáticas, sendo o termo um objeto familiar.

Chaturanga é um adjetivo que consiste em duas palavras, chatur significa “quatro” e hip significa “membro” e tem o significado literal de “quatro partes”. No seu sentido original, aparece no Rigveda em relação às quatro partes do corpo humano e no Shatapatha Brahmana. O termo também apareceu em Mahābhārata, que existe desde o século V, Ramahiana (século V AC), Nitisara (Kamandaki) da era cristã primitiva e em Parsistas Atarvaveda (~250) ou com a palavra bata (exército) ou como um substantivo neutro ou feminino no sentido de “exército de quatro membros” e “exército” em geral, pelo que o uso da palavra como um nome de exército é claro em Sânscrito.

O significado destas quatro partes é claro a partir da associação da palavra Chaturanga com carros, elefantes, cavalaria e infantaria em Ramahiana, Mahābhārata e Amarakosa, em que o exército é explicitamente referido como o apressado Ashwa-ratha-Padatam, que foi a composição do exército desde o século IV aC de acordo com relatórios gregos da invasão do noroeste indiano por Alexandre o Grande. O historiador grego Megastenes passou algum tempo na corte de Pataliputra no terceiro século a.C. e afirmou que havia seis divisões no exército: Elefantes, Bigas, Cavalaria, Soldados, suprimentos e barcos. (hasty-aswa-ratha-padati-senepati-karmakara)

A origem do chaturanga tem sido um mistério há séculos. A primeira referência clara data do sexto século da era comum e do noroeste da Índia. O primeiro argumento substancial de que o chaturanga é muito mais velho do que isso é o fato de que a carruagem é, de longe, a peça mais poderosa no tabuleiro, embora os tanques parecem ter sido obsoleto na guerra por pelo menos cinco ou seis séculos.

O contra-argumento é que eles permaneceram proeminentes na literatura. Vários estudiosos mais recentes têm proposto uma evolução gradual ao longo dos séculos aC nas regiões de fronteira norte ou noroeste da cultura indiana, onde estava em contato com a cultura grega trazida pelo exército macedônio-grego, e onde alguns líderes emitiram moedas com imagens greco-indígenas derretidas.

Myron Samsin afirma que a chaturanga nasceu no reino de Bactria, por volta de 255-55 AC, numa fusão dos muitos homens do jogo grego petteia, ou poleis, com homens dos diferentes movimentos de um jogo de raça indiana, talvez Seega ou Chaupur, na ashtapada, no tabuleiro de outro jogo racial[3] Gerhard Josten propõe que a fusão ocorra sob o Império Kushan Ca. 50 AC. -200 AD e é inspirado não só pelos jogos indianos, mas também pelo jogo chinês de Liubo e pelas técnicas de adivinhação chinesas e babilônicas.

Quais são as Regras do Chaturanga?

O jogo começa de acordo com a figura abaixo:

Peças pretas, da esquerda para a direita (como visto pelo jogador com figuras pretas): Ratha (Torre), Ashva (Cavalo), Gaja (Elefante), Mantri(Conselheiro), Ràja (Rei), GajaAshva e Ratha na fileira de trás, e os oito Padàti/Bhata (Peões) na fileira da frente.

Peças brancas, da esquerda para a direita (do ponto de vista do jogador com as peças brancas) RathaAshvaGajaMantriRàjaGajaAshva e Ratha na fileira de trás, e os oito Padàti/Bhata (Peões) na primeira fila.

Ràja pode mover uma casa para qualquer lugar e também pode fazer um único movimento de Ashva durante o jogo, desde que não seja ameaçado (colocado sob controle) de antemão;

  • Ràja pode mover-se de uma casa para qualquer lado, podendo também fazer um único movimento de Ashva durante a partida desde que não tenha sido ameaçado (posto sob cheque) antes;
  • Mantri move uma casa na diagonal;
  • Gaja move duas casas na diagonal, podendo saltar uma peça que esteja no caminho.
  • Ashva se move em “L”, fazendo um movimento equivalente à diagonal de um retângulo de 3×2 casas;
  • Ratha move para frente, para trás ou para os lados, quantas casas o jogador quiser;
  • Padàti/Bhata move uma casa para frente, e captura em uma casa para a diagonal (para frente e para a direita, ou para frente e para a esquerda, nunca para trás).

Os Bhata podem promover quando eles chegam na última fileira do tabuleiro, mas somente para o mesmo tipo de peça que estava no início da partida na casa ao qual ele chegou. Exemplo: quando um Bhatabranco move para a casa onde inicialmente estava um Ashva, ele é promovido a Ashva. Todavia, a promoção só é possível se o jogador já tenha perdido a peça a ser promovida.

Chaturanga [Xadrez]
Vote nesse artigo

Receba nossas atualizações grátis!

Comente