Escalas Cartográficas [Geografia]

0
25

As escalas cartográficas são a relação matemática entre as distâncias representadas no mapa e as da natureza. O mapa é a representação geométrica de uma parte da superfície da Terra em um plano. Uma vez que os dados necessários para a geodésia (distâncias, direções e instalações) estão disponíveis, esses valores são plotados no mapa, preservando a relação constante e precisa entre as distâncias mostradas no mapa e as extensões correspondentes da natureza.

Escala é a relação entre a representação do fenômeno no mapa e sua dimensão real. A escala de 1: 1.000.000 significa que cada medida linear do espaço real no mapa é reduzida a um milionésimo (1 km = 1 mm).

A escala de um mapa é indicada ao lado da legenda por expressões numéricas ou gráficas e indiretamente quando a mesma relação é estabelecida por elementos de tamanho conhecido. As escalas podem ser: numericamente; diagramas; gradientes; e cores.

Escala Numérica

A escala numérica é expressa por uma fração, na qual o numerador representa a distância no mapa e o denominador, a distância na superfície real.

Medidas numéricas podem representar razões típicas simplesmente variando os valores dados. A tela 10/1 ou 10: 1 é uma escala maior, indicando que a medida no desenho ou na foto é dez vezes o tamanho do objeto. A indicação 1/1 ou 1: 1 é a escala natural em que a dimensão do desenho é a mesma que a do objeto representado “tamanho real”. Finalmente, a especificação 1/10 ou 1:10 está em uma escala menor, o tipo usado no mapeamento.

Não é comum usar uma escala de superfície numérica para a avaliação de áreas em mapas. No entanto, quando usado, deve-se saber que a escala de superfície de um mapa é o quadrado linear ao quadrado. Exemplo: 1: 5.000 lineares é 1: 5.0002 área, d. H. Um quadrado no mapa representa 25 milhões de quadrados idênticos no terreno.

A escala numérica para alturas seria a escala linear do mapa. No entanto, como o relevo (a terceira dimensão) no mapa é imensurável porque é representado apenas por meios gráficos, o processo torna-se inaplicável. Em plantas e em mapas topográficos, a equidistância de linhas de contorno é dada às vezes em ordem numérica ao lado da legenda, permitindo fácil avaliação de elevações e declives.

Escala Gráfica

As escalas gráficas expressam a relação entre o mapa e a natureza para projetar e são frequentemente usadas em conjunto com a escala numérica. Sua vantagem deriva da leitura simples e imediata, que permite determinar a distância por comparação ao longo da escala desenhada e obter o resultado rapidamente e sem cálculo. Outra vantagem da escala de gráficos é que ela rastreia as possíveis reduções ou ampliações do mapa e mantém a proporção de escala que não ocorre na escala numérica.

A escala simples do gráfico é uma linha reta que é dividida em unidades na proporção da escala. A linha reta é desenhada a partir do ponto zero com uma unidade básica maior à esquerda e à direita a mesma unidade básica é geralmente marcada como suficiente. A unidade esquerda é chamada de conta ou extensão e dividida em unidades menores. Nas escalas gráficas, o resultado depende do cuidado e prática da leitura e da finura da graduação.

Nos diagramas topográficos, especialmente aqueles criados pelos militares, existe uma escala gráfica pertencente à classe das escalas de conversão ou à classe binária. É a escala graduada que tem um grau métrico em um lado da linha e um grau em unidades de passo no outro. A posição oposta das duas gradações ao longo do alvo torna possível determinar o número de contadores para um certo número de etapas e vice-versa. A distância conhecida é tomada em uma tira de papel ou no compasso do ponto seco e o valor correspondente é lido em unidades da escala oposta ao longo da fuselagem e do talão da mesma maneira que na escala de gráfico simples.

Outro tipo de escala de gráfico é a composição ou deformação. A projeção cartográfica utilizada na construção da rede de coordenadas geográficas (meridianos e paralelos) no plano provoca deformações lineares nos mapas geográficos. A escala composta é apresentada em uma frase que especifica as latitudes escolhidas, a primeira relativa ao equador. A combinação dos mesmos valores de escala das escalas forma uma série de curvas que podem determinar graficamente o valor das distâncias em qualquer latitude.

No atlas escolar são usadas figuras geométricas, como o quadrado da área conhecida, que é desenhado em um canto do mapa em uma escala linear. É costume incluir nos mapas de origem europeia o desenho esquemático do próprio país na escala do mapa, a fim de obter por simples comparação visual uma ideia imediata do tamanho de outros países.

Escala de Cores

Ao exibir relevos em mapas, são usadas escalas de cores que especificam as zonas de altura e depressão de acordo com determinadas regras. Geralmente posicionadas ao lado das chamadas, essas escalas definem a altura dos planos horizontais ou as curvas que ligam essas zonas em cores diferentes.

Escala de Declividades

A escala de inclinação é conhecida como gradientes de inclinação e declives de rampa quando o relevo é representado por linhas de contorno, tracejamento ou desbotamento. Essa escala, que se refere à terceira dimensão, é gradualmente desenvolvida com linhas graduadas, em que os espaços marcados sempre dependem da origem.

Leia o próximo valor de escala entre as curvas sucessivas. Se valores mais precisos forem necessários, as diferenças são interpoladas por estimativa. Os gradientes gradientes podem ser escalonados ou inclinados. Uma determinada escala é apenas para uma dada escala linear e um determinado grau de equidistância de linhas de contorno.

Escalas Cartográficas [Geografia]
5 (100%) 1 voto

Comente