Estado de Pernambuco (PE) [Geografia]

0
304

O Pernambuco é um estado de Brasil, localizada na região Nordeste do país. O estado de Pernambuco também inclui o arquipélago de Fernando de Noronha. Com uma população estimada de 9,2 milhões de pessoas em 2013, é o sétimo estado mais populoso do Brasil, e é o sexto mais densamente povoado e o 19º mais extenso entre os estados e territórios do país. Sua capital e maior cidade, Recife, é um dos centros econômicos e urbanos mais importantes do país. A partir de estimativas de 2013, a região metropolitana de Recife é a quinta mais populosa do país e a maior aglomeração urbana do Nordeste brasileiro. 

Em 1982, a cidade de Olinda, a segunda cidade mais antiga do Brasil, foi declarada Patrimônio da Humanidade pela UNESCO. Recife, a capital do estado e Olinda têm um dos carnavais brasileiros mais tradicionais. Ambas têm arquitetura de Portugal, com casarões centenários e igrejas, quilômetros de praias e muita cultura. A proximidade do equador garante sol durante todo o ano, com temperaturas médias de 26 ° C (79 ° F).

Pernambuco compreende uma zona costeira comparativamente estreita, um planalto interior alto e uma zona intermediária formada pelos terraços e declives entre os dois. 

Sua superfície é muito quebrada pelos restos do antigo planalto que foi desgastado pela erosão, deixando escarpas e cordilheiras de montanhas planas, chamadas chapadas, cobertas por camadas horizontais de arenito. As faixas destas chapadas formam as linhas limítrofes com três estados – a Serra dos Irmãos e a Serra Vermelha com o Piauí, a Serra do Araripe com o Ceará e a Serra dos Cariris Velhos com a Paraíba.

A zona costeira é fértil, e antigamente era coberta pelas úmidas florestas costeiras de Pernambuco, a extensão norte da Mata Atlântica (Mata Atlântica) do leste do Brasil. Agora é colocado em extensas plantações de cana-de-açúcar. Tem um clima quente e úmido, aliviado até certo ponto pelos ventos alísios do sudeste.

A zona média, chamada de região agreste, tem um clima mais seco e uma vegetação mais clara, incluindo as florestas de interior semidecidenciais de Pernambuco, onde muitas árvores perdem suas folhas na estação seca.

A região do interior, chamada de sertão, é alta, pedregosa e seca, e freqüentemente devastada por secas prolongadas (secas). O clima é caracterizado por dias quentes e noites frias. Há duas estações claramente definidas, uma estação chuvosa de março a junho e uma estação seca para os meses restantes. O interior do estado é coberto principalmente pela vegetação arbustiva seca espinhosa chamada caatinga. O Rio São Francisco é a principal fonte de água para essa área.

O clima é mais ameno no interior do estado por causa do Planalto da Borborema(“Planalto da Borborema”, popularmente conhecido como “Serra das Russas” ou “Montanha dos Russos”). Algumas cidades estão localizadas a mais de 1.000 metros acima do nível do mar e as temperaturas podem descer até 10 ° C (50 ° F) e até 5 ° C (41 ° F) em algumas cidades (Triunfo) durante o inverno.

A ilha de Fernando de Noronha, no Oceano Atlântico, a 535 km a nordeste de Recife, faz parte de Pernambuco desde 1988.

Os rios do estado incluem uma série de pequenos riachos de planalto fluindo para o sul até o rio São Francisco, e vários grandes córregos na parte leste fluindo para o leste até o Atlântico. Os primeiros são o Moxotó, o Ema, o Pajeú, o Terra Nova, o Brigida, o Boa Vista e o Pontai, e são canais secos a maior parte do ano. 

O maior dos rios litorâneos é o rio Goiana, formado pela confluência dos rios Tracunhaem e Capibaribe-mirim, e drena uma rica região agrícola no nordeste do estado; o Capibaribe, que tem sua nascente na serra de Jacarara e flui para o leste em direção ao Atlântico em Recife, com um curso de quase 300 milhas (480 km); o Ipojuca, que nasce na Serra de Aldeia Velha e atinge a costa sul do Recife; a Serinhaen; e o Uná. Um grande afluente do Uná, o Rio Jacuhipe, faz parte da linha de fronteira com Alagoas

Originalmente habitada por numerosas tribos de povos indígenas falantes de tupi-guarani, Pernambuco foi colonizada pelos portugueses no século XVI. Os franceses de Bertrand d’Ornesan tentaram estabelecer um posto comercial francês em Pernambuco em 1531.Pouco depois de o rei D. João III de Portugal criar as Capitanias Hereditárias em 1534, Pernambuco foi concedido a Duarte Coelho, que chegou a Nova Lusitânia (ou “Nova Lusitânia “) em 1535.

Duarte dirigiu ações militares contra os índios Caetés aliados franceses e, após sua derrota em 1537, estabeleceu um assentamento no local de uma antiga aldeia indígena Marin, daqui em diante conhecida como Olinda, bem como outra aldeia em Igarassu.

Devido ao cultivo de açúcar e algodão, Pernambuco foi uma das poucas capitanias prósperas (a outra notável é São Vicente). Com o apoio da Companhia Holandesa das Índias Ocidentais, foram construídas usinas de açúcar (engenho) e desenvolvida uma economia baseada no açúcar. Em 1612, Pernambuco produziu 14.000 toneladas de açúcar; na década de 1640, mais de 24 mil toneladas de açúcar foram exportadas apenas para Amsterdã. Enquanto a indústria do açúcar dependia inicialmente do trabalho dos povos indígenas, especialmente os Tupis e Tapuyas. A alta mortalidade e o crescimento econômico levaram à importação de africanos escravizados do final do século XVII. Alguns desses escravos escaparam das regiões costeiras produtoras de açúcar e formaram comunidades internas independentes chamadas mocambos, incluindo Palmares.

Em 1630, Pernambuco, assim como muitas possessões portuguesas no Brasil, foi ocupada pelos holandeses até 1654. A ocupação sofreu fortes resistências e a conquista holandesa foi apenas parcialmente bem-sucedida, sendo finalmente repelida pelos espanhóis. Nesse ínterim, milhares de africanos escravizados haviam fugido para Palmares e logo os mocambos haviam se transformado em dois estados significativos. A República Holandesa, que permitiu que a produção de açúcar permanecesse em mãos portuguesas, considerou a supressão de Palmares importante, mas não teve sucesso. Johan Maurits van Nassau-Siegen, conde de Nassau, foi nomeado como governante da Nieuw Holland (empresa holandesa de colonização no Brasil).

O governo de Nassau construiu Vitória (Recife) enas ilhas do delta, que têm semelhanças com a topografia de Salvador. Isso mudou o foco político de Olinda para o Recife. A administração holandesa de Nassau foi notada pelos avanços no urbanismo, cultura e ciência. O legado holandês ainda é reconhecido no povo de Pernambuco, sotaque e arquitetura.

Beach view in Olinda, Brazil

Os portugueses reconquistaram o Recife em 1654 e Olinda recuperou seu status de centro político. No entanto, Recife continuou sendo a cidade comercial / portuária. Se os holandeses se foram, no entanto, a ameaça do quilombo de Palmares, agora unificado, permaneceu. Apesar de um tratado negociado em 1678 com seu governante Ganga Zumba, uma guerra entre os dois permaneceu. Zumbi, que se tornou governante após o tratado de paz e mais tarde o repudiou, lutou contra o governo português até 1694, quando soldados trazidos do sul acabaram por derrotá-lo.

Em 1710 a Guerra dos Mascados ocorreu em Pernambuco. Este conflito colocou as mascates (vendedor ambulante) de Recife contra o estabelecimento sediado em Olinda e liderado pelos Senhores de Engenho (proprietários das usinas de açúcar, literalmente: senhores do engenho de açúcar).

Pernambuco foi o local das mais importantes rebeliões e insurreições da história brasileira, especialmente no século XIX.

1817 foi o ano da Revolução Pernambucana, um movimento separatista republicano que resultou na criação da República de Pernambuco. A principal causa da revolução foi a insatisfação com a administração colonial. A república foi declarada em 7 de março de 1817. Após a intervenção militar, a secessão terminou em 20 de maio de 1817. A bandeira da república é a atual bandeira de Pernambuco.

Como reação à dissolução da Assembléia Constituinte do Imperador Dom Pedro I, a Confederação do Equador foi criada em 2 de julho de 1824. A Confederação foi outro movimento separatista que englobou as províncias de Pernambuco, Paraíba, Rio Grande do Norte e Ceará. Em 29 de novembro de 1824, as forças da Confederação capitularam ao exército imperial.

Pernambuco foi o local da breve revolta liberal republicana de Praieira em 1848, que foi a resposta do Brasil ao ano europeu das revoluções liberais. Deodoro da Fonseca, o marechal que esmagou a revolta, muito mais tarde derrubou o imperador Pedro II, e serviu como o primeiro presidente da república brasileira.

No século XVII, a Holanda experimentava uma onda de liberdade e progresso e queria expandir suas colônias no continente americano. Uma expressão simbólica dessa nova economia era um ramo da Companhia Holandesa das Índias Ocidentais, que tinha influência em todo o mundo e controlava grande parte do comércio entre o Oriente e o Ocidente. Um conselho de dezenove membros nomeou o príncipe Johan Maurits, Conde de Nassau, governador de Pernambuco. Foi uma escolha auspiciosa para o Nordeste, porque ele era um amante das artes com um profundo interesse no Novo Mundo. Em 1637 ele abriu suas diretrizes de governo bem diferentes das dos colonizadores portugueses, declarando “Liberdade de Religião e Comércio”. Sua comitiva continha comerciantes, artistas, planejadores, cidadãos alemães e holandeses. Ele foi acompanhado por seis pintores, incluindo Jonh Post e Albert Eckhout. Nassau também criou um ambiente de tolerância religiosa holandesa, novo para a América portuguesa e irritante para seus associados calvinistas. Nassau foi o primeiro a substituir a monocultura de produção de açúcar por uma policultura econômica.

Sob o domínio holandês, a cultura judaica se desenvolveu no Recife. Muitos judeus do oceano procuraram refúgio na Holanda. A comunidade judaica, especialmente os sefarditas, foi estabelecida e se espalhou para o norte das Américas. Há registros de que em 1636 uma sinagoga estava sendo construída na cidade. Muitos judeus holandeses estavam ligados a atividades comerciais da East Islands Company, que naturalmente os enviaram para o Novo Mundo. Um estudioso judeu de Amsterdã, Isaac Aboab da Fonseca, chegou ao Recife em 1642, tornando-se o primeiro rabino em solo brasileiro e no continente. Em 1643, três anos depois de os portugueses terem recuperado a coroa na metrópole, o padre António Vieira- desaprovado, perseguido pela Inquisição e admirador de Aboab – recomendou que o rei de Portugal ocupasse a capital dos novos cristãos e imigrantes judeus para ajudar as deprimidas finanças portuguesas 

Em 1630, a Indian West Islands Company voltou a interessar-se pelas capitanias da colônia holandesa nas Américas. Devido à União Ibérica (1580-1640), a República Holandesa (que era dominada pela Espanha, mas depois se tornou independente) viu em Pernambuco a oportunidade de atacar a Espanha e compensar a perda devido ao fracasso da administração holandesa. Em 26 de dezembro de 1629, um esquadrão com 66 embarcações e 7280 homens saiu de São Vicente, Cabo Verde, em direção a Pernambuco.

Hoje em dia, acredita-se que a maioria dos habitantes do agreste do pernambuco tenha algum ancestral holandês.

Segundo o IBGE, em 2007, Pernambuco tem 2,34% de participação da economia brasileira e 17,9% de participação da economia do Nordeste. É a décima maior economia de todo o país. O PIB do estado foi de R $ 104.394.000.000 (2011), e a renda per capita foi de R $ 11.776.

A economia é baseada na agricultura (cana-de-açúcar, mandioca), criação de gado e criações, bem como na indústria (construção naval, automotiva, química, metalúrgica, eletrônica, têxtil, alimentar). No período de outubro de 2005 a outubro de 2006, o crescimento industrial do estado foi o segundo maior do Brasil – 6,3%, mais que o dobro da média nacional no mesmo período (2,3%). Outro segmento que merece destaque é a extração mineral. O pólo gesseiro de Araripina é o fornecedor de 95% do gesso consumido no Brasil. O pólo de processamento de dados do Recife, Porto Digital, apesar de ter iniciado em 2000, é um dos cinco maiores do Brasil. Emprega cerca de três mil pessoas e tem 3,5% do PIB do estado.

Pernambuco tem grandes festas de carnaval, incluindo o frevo, música típica pernambucana. Outro famoso estilo de música carnavalesca de Pernambuco é o maracatu.

As cidades de Recife e Olinda realizam as festas de carnaval mais autênticas e democráticas do Brasil. O maior desfile de carnaval de todo o Brasil é o Galo da Madrugada, que acontece no centro de Recife no sábado de carnaval. Outro evento famoso é a Noite dos Tambores Silenciosos.

O alegre Carnaval de Recife é conhecido nacionalmente, atraindo milhares de pessoas todos os anos. A festa começa uma semana antes da data oficial, com trios elétricos “sacudindo” o bairro da Boa Viagem.

Na sexta-feira, as pessoas saem às ruas para se divertirem ao som do frevo e dançar com os grupos maracatu, ciranda, caboclinhos, afoxé, reggae e manguebeat (movimento cultural criado em Recife nos anos 90). Existem ainda muitos outros centros de entretenimento por toda a cidade, com artistas locais e nacionais.

O litoral de Pernambuco tem 187 km de extensão. São cerca de 187 quilômetros de praias, incluindo algumas das mais belas da região, como Porto de Galinhas, Carneiros e Calhetas.

  • Fernando de Noronha, um grupo isolado de 21 ilhas vulcânicas a aproximadamente 540 km do Recife. As ilhas principais são as partes visíveis de uma série de montanhas, ilhotas e rochas submersas. O Arquipélago de Fernando de Noronha abriga locais ecológicos ideais para a vida exuberante de animais marinhos, devido à sua localização geográfica distante do continente e bem dentro do caminho das Correntes Equatoriais do Sul, bem como à natureza do seu clima.
  • Porto de Galinhas. Possui piscinas de águas claras e mornas espalhadas pelos recifes de corais, estuários, manguezais, coqueiros e várias outras amostras de riqueza natural abundante que fazem de Porto de Galinhas um lugar a não perder ou esquecer.
  • Boa Viagem. Localizada na privilegiada área metropolitana do sul do Recife, Boa Viagem é a praia mais importante e frequentada da cidade. É protegido por uma longa parede de recife e tem uma extensa costa.
  • Ilha de Itamaracá. Separada do continente pelo Canal Santa Cruz, possui várias praias altamente frequentadas. Entre eles estão o Forte Orange, a Praia do Sossego e o Pontal da Ilha. A ilha abriga o Centro de Preservação do Peixe-boi Marinho.
  • Maracaípe, uma praia de ondas grandes que abriga uma fase do Torneio Brasileiro de Surf. Altamente frequentada por surfistas e vizinha de Porto de Galinhas, Maracaípe.
  • Tamandaré. Pequenas ondas e areia fina podem ser encontradas lá.
  • Calhetas, uma pequena baía de difícil acesso. Procurado por muitos para mergulho.
  • Coroa do Avião, uma pequena ilha no meio do delta do rio Jaguaribe, que só pode ser alcançada de barco ou jangada, desde Recife ou Itamaracá.
Estado de Pernambuco (PE) [Geografia]
5 (100%) 1 voto

Receba nossas atualizações grátis!

Comente